Conhecendo o Vale do Colca no Peru

Vale do Colca
Parada obrigatória para quem vai à Arequipa é o Vale do Colca, região desértica e montanhosa que abriga o maior canyon das Américas, duas vezes mais profundo que o Grand Canyon

Para quem está sem carro e quer conhecê-lo basta procurar uma das várias agências de turismo em Arequipa (ou pedir informação no hotel/hostel) e escolher um dos vários pacotes oferecidos.

Tem gente que prefere fazer por conta, pegar um ônibus ou alugar um carro; Se esta é a tua ideia, veja aqui o post do Viagens e Caminhos.

No site dos mochileiros e do Tripadvisor há algumas boas informações a respeito. Como não achei tao simples e fácil assim, contratamos um pacote bem econômico com o pessoal do hostel Home Sweet Home e fomos.

Escolhemos o passeio que faz Arequipa – Chivay – Cruz de los Condores em 1N e 2D. Talvez o bate e volta também seja interessante. Há passeios maiores e alguns com escalada no Misti.

Conhecendo o Vale do Colca no Peru

Turistandoin Peru Colca trip 2 1024x427 Conhecendo o Vale do Colca no Peru

Qual pacote econômico escolher? de 1 ou 2 dias?

Hoje eu diria que o de 1 dia pode ser ideal, mas eu não o fiz e não sei quem o fez.
A diferença, creio eu, é que o pacote de um dia a viagem será mais rápido e cansativo, pois não irá parar em Chivay (nada especial). O restante, creio que seja igual!

A excursão para o Vale do Colca de 2n e 1d.

A nossa excursão começou às 8h. A agência de turismo nos pegou no hotel com uma van e a guia (uma peruana muito simpática) começou a nos explicar todo o trajeto e as coisas que veríamos nos 2 dias.

Fizemos 4 paradas antes de chegar em Chivay:

1) ainda em Arequipa para comprarmos balas de coca e água;
2) no meio do caminho para um chá de coca (ou de uma outra erva que não me lembro o nome) e banheiro;
3) Em um local que havia um paredão de gelo de um lado e um vale de vulcões desativados
4) E por fim, a parada mais esperada, o mirador de la cordillera volcanica, também conhecido como Vale de los Volcones, que nos dá a possibilidade de apreciar distantemente os vulcoes Misti, Ampato, Chachani e Sabancayo.

O local está na parte mais alta da viagem, a quase 5000m de altitude; Já havíamos passado por grandes altitudes e (aparentemente) estávamos aclimatados, mas mesmo assim sentimos um pouco mal mesmo dentro da van.

Além do mirador, o local nos presenteia com uma belíssima paisagem da estrada e das diversas apachetas, que são montes de pedras, uma em cima da outra, no qual o peruano faz homenagem a PachaMama, para os proteger na viagem

Após o mirador, a próxima parada é em Chivay, para o almoço.
A Van para em uma rua erma com vários restaurantes para turistas; Todos aguardando os grupos de excursão (valor não incluso). O almoço, em estilo buffet, não é ruim e nos custou aproximadamente 30 soles (cada).

Assim que o grupo termina o almoço, nos hospedamos e a guia fez um rápido e breve tour pela cidade. Percebemos que ela fez apenas porque eu, meu marido e mais 3 peruanos quiseram. O restante ficou esperando (ansiosos) no hotel para uma tal terma (que, ao descobrirmos que era um lago aberto e possivelmente sujo, decidimos não ir).

O pacote dizia incluir apresentação típica.
Bom, se isso é o que te fará escolher o pacote de 2 dias, repense!  A tal dança típica nada mais é que moradores vestidos a caráter para um baile em um restaurante que a excursão te levará (e que você deverá pagar!).
Resumindo: nesse primeiro dia nós fomos até Chivay, almoçamos e jantamos nos restaurantes escolhidos por eles (e sem preço promocional), fizemos um passeio pela cidade e dormimos muito (tarde e noite).

O segundo dia é o que conta.

Acordamos relativamente cedo para o café da manhã e a excursão saiu do hotel por volta das 7h.
Pensei que seguiríamos direto para o Vale do Colca e Cruz del Condor, mas eles pararam em várias cidadelas, mostrando igrejas e explicando um pouco da cultura local (o que, de certa forma, me irritou. Poderíamos ter parado na volta).
Por fim, chegamos no Mirador “Cruz del Condor” às 9h30! Parece que é esse o horário que os pássaros começam a sobrevoar. O problema é que já estava lotado de turistas!
Marcamos horário para o retorno e tentamos achar um localzinho para ficar.
O mirador, por si só, é lindo!
Nos mostra uma breve, mas linda noção do Canyon do Colca. Por sorte, o dia programado estava lindo e conseguimos (mesmo com uma câmera compacta) tirar lindas fotos.

Os condores desta região são imensos e, com as asas abertas, podem chegar a uma vergatura de 3 metros. Infelizmente eles são tímidos e nem sempre se exibem para nós.

Acho que ficamos apenas uma hora aqui; Na sequência, tivemos várias paradas até o retorno para apreciar os canyons (inclusive uma segunda parada no Vale de los Volcones), um almoço no meio do caminho e muita paisagem linda a ser fotografada.


Salve este post dentro do Pinterest para ler depois e siga nosso perfil!
🙂

 22c948d49b31fdb20636f6adcaa3c8bd Conhecendo o Vale do Colca no Peru

 


Planeje a tua viagem conosco

Clicando nas imagens abaixo, você encontra preços especiais e ainda ajuda o blog sem gastar nada!

About Juliana (www.turistando.in)

Sou a mãe do Léo quase full-time, professora de italiano (por algumas horinhas), esposa de um doutorando (que me deixa maluca) e, claro, a faz-tudo do Turistando.in!

Deixe aqui teu comentário ou tua dúvida:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  Subscribe  
Notify of
Josefa Povh

Olá,
Adorei teu relato, objetivo, fotos maravilhosas.
Visito o Peru pela segunda vez e nessa viagem vou conhecer Arequipa e Puno. Vou em novembro para Arequipa e pretendo fazer o tour de 2 dias ao canon del Colca, pousando no vale (Hotel Killawasi – Yanque) continuando viagem de Chivay para Puno, pois penso q. com isto evito o retorno para Arequipa.
Queria saber o q. vc acha desse meu roteiro. Penso em comprar pela internet as passagens para Puno (4 m express) e reservar o hotel, ficando apenas o transporte/guia para ser contratado lá.
Obrigada pela atenção,
Jô Povh