Onde se hospedar em Valparaiso: Hotel Da Vinci

Hotel Da Vinci Valparaiso Chile

Hotel Da Vinci Valparaiso

Em algum ponto de Valparaiso e o mar ao fundo! Acreditem se quiser, nesta ladeira encontramos 2 hostels!

Dos 16 dias no Chile, reservamos duas noites para Valparaiso e nos hospedamos no Hotel Da Vinci, no centro da cidade, entre o centro (Plaza Mayor) e o bairro de Cerro Alegre. Uma região que eu achei bastante tranquila e segura (caminhamos bastante a noite por ali). 

Sei que muita gente acaba fazendo um bate e volta para conhecer Viña e Valparaiso. Se teu objetivo é fazer foto dos pontos principais e zarpar, é possível, mas é uma pena!
As duas cidades são interessantes e como tínhamos tempo, quisemos conhecê-las mais tranquilamente e sem correria.

Além disso, Valparaiso é perfeita para ser usada como base para as vinícolas de Casablanca (visitamos apenas Veramonte e Emiliana).

Em um primeiro olhar, Valpo parece suja e largada (tivemos o azar de chegar em um dia cinzento), mas aos poucos começamos a perceber muita vida em suas ruas (e paredes).

Muitas das casas são coloridas, suas paredes e escadas grafitadas. Uma cidade que respira arte!

Sem contar que a “Valpo noturna” tem um espírito totalmente diferente da “Valpo diurna” (gostei dela mais a noite do que durante o dia e olha que nós não caímos na balada).

Avaliação do Hotel Da Vinci, Valparaiso:

Sua avaliação online também é boa: TripAdvisor (4.5 de 5), Booking (8.8 de 10), Expedia (4.1 de 5) (notas de set/2017).

.


Como ir para Valparaiso?

  • a partir de Santiago

O espaço do Turbus

Vá até a estação Pajaritos e compre sua passagem pela Pullman Bus ou Turbus. Na ida fomos com a primeira e na volta fomos com a segunda.

Ambas oferecem ônibus confortáveis e com um ótimo espaço entre as poltronas!  A diferença entre as duas basicamente é aquele encosto para as pernas (foto ao lado).

rodoviária de Valparaiso fica do lado oposto ao centro. Porém, o ponto final do Trolebus clássico está bem perto da rodoviária e ele passa pelos  pontos principais da parte baixa.

Do lado direito da imagem, a rodoviária e o ponto do Trolebus. Do lado esquerdo, com estrelinha, a localização do Hotel Da Vinci
  • a partir de Viña del Mar

Nós estávamos em Viña. As duas cidades são próximas e coligada por uma linha de metrô que faz a costa das cidades (em alguns trechos é possível ver o mar).
Pegamos o metrô na estação Quinta Vergara e descemos na estação Puerto (a última da cidade). Da estação Puerto fomos andando até o hotel. O caminho descrito abaixo foi o que nos indicaram na estação.

Da estação Puerto até o Hotel da Vinci

Veja neste link a cotação do peso chileno.

Veja também onde ficar em Viña del Mar: Hostel Jaguar


Localização do Hotel Da Vinci

A inclinação da rua e a fachada do hotel da Vinci

Como disse anteriormente, a localização do Hotel da Vinci é bem central.
Fomos até ele a pé da estação de metrò e fizemos todos os passeios caminhando.

Valparaiso (carinhosamente chamada de Valpo) é uma cidade portuária com uma parte plana (perto do mar) e todo o restante sobre montes.
Isto é, a cidade tem muitas ladeiras, escadarias e elevadores (funiculares).

No entanto, este hotel está bem no início da ladeira, a 130 metros da rua principal (plana) e a 500 metros da estação de metrô.

Tanto da estação como do ponto do trolebus turístico não é necessário pegar um taxi. Pelo menos não achamos necessário.

Deem uma olhada no gráfico que o Google mostra:


Conhecendo o Hotel Da Vinci

O hotel da Vinci Valparaiso é gerenciado por uma família italiana, que infelizmente não conheci. Teria sido um alívio poder usar o meu italiano no lugar do meu macarrônico portunhol.

Chegamos antes do horário de check in, mas como o hotel não estava cheio (fomos na baixa temporada), a recepcionista nos permitiu entrar antes.

Enquanto ela fazia o nosso check in, nos contou o que poderíamos fazer na cidade e quais eram as atrações interessantes. Fez um risco nos elevadores em reforma (quase todos) e nos indicou onde comer barato.
Tudo isso em um mapa!
Terminado o check-in, ela nos ajudou com nossas mochilas até o quarto.

Ok, mas como é o hotel?

A recepção ao fundo

O Da Vinci parece mais uma pousada e é bem charmosinho, com uma estrutura de madeira (creio que seja por causa dos possíveis terremotos que ocorrem na cidade) e com uma abertura na parte central (da recepção se vê o 1° andar).

Na parte interna ao lado do balcão de recepção há uma sala de estar com sofás, lareira, livros e um cantinho de conveniência (com bebidas e snacks) e alguns quartos. Do lado externo, um jardim de inverno.

A decoração envolve objetos antigos misturados com móveis de madeira e alguns tons amarelados e avermelhados.

Ficamos em um quarto super silencioso, ao fundo, com uma janela para a área externa (um área pequena, mas que nos permitia ter a troca de ar sem o barulho do dia a dia).

  • Acessibilidade

Valparaiso não é uma cidade fácil para quem tem dificuldade de locomoção. Muita subida, muita ladeira, muitas escadarias.

Tivemos o azar de pegar quase todos os elevadores em reforma (exato! Não entramos em nenhum).

Por ser uma cidade antiga, construída em cima de morros, a cidade em si já não é tão acessível e isso se espelha neste hotel e em todos os bares, cafés e restaurantes  que entramos.

Para chegar ate aqui, você pega uma rua em subida (com algumas escadas na calçada, mas com possibilidade de desvio na lateral – estavamos com o Léo no carrinho). Ao abrimos a porta o hotel, mais uns 6 degraus até chegarmos no piso térreo.

Por esta foto, é possível ver que há quartos no térreo, mas o hotel não tem elevador (pelo menos não vi) e o café é servido no 2° andar (e todos os andares tem pé direito alto).

  • A suíte

Os quartos deste hotel tem nomes italianos (pelo menos naqueles que eu circulei e prestei atenção).
O nosso era Luce (luz) e estava no 1° andar e aos fundos. Nesta foto é possível ver uma parte da janela do banheiro, nossa porta aberta, outro espaço com janela (o quarto é bem iluminado, assim como seu nome sugere) e uma portinha que vai para um “quintalzinho”.

Como nao tinhamos “vizinhos” (o quarto ao lado fazia parede com o banheiro), tivemos uma otima tranquilidade (noite de sono perfeita) e ainda com a possibilidade de deixar a janela aberta e receber ar fresco.

Por causa do Léo, reservamos o quarto quadruplo, com uma cama de casal e uma beliche (mas no fim das contas, o Léo dormiu conosco).

Dentro do quarto tinha uma mesinha, um pequeno guarda roupa, uma TV com sistema a cabo e um aquecedor elétrico. Ao lado da cama, cômoda com iluminação em cada um dos lados.

A cama é muito confortável, assim como os lençóis, edredom e o travesseiro (aliás, amei o edredom; muito macio).

  • O banheiro

O banheiro é bem pequeno, mas suficiente para o uso. A água era abundante e quente.
Nossa ùnica reclamaçao: um dos jatos do chuveirinho jogava agua para fora do box, o que molhava parte do banheiro.

  • Limpeza e arrumação

O quarto, assim como todo o hotel é bem limpo.
Ficamos apenas 2 noites e passamos apenas por uma arrumação. Trocaram inclusive as toalhas, que havíamos deixado estendidas para o uso no dia seguinte.

  • Internet

O hotel oferece internet wifi grátis, com um ponto de repetição nos andares (a senha se encontra em quadros na parede).
A velocidade é outro ponto positivo deste hotel. A internet é ótima em todos os andares.

o roteador do 1° andar
  • O restaurante

Por ser um hotel, não tínhamos acesso ao uso de cozinha.
No entanto, os donos possuem um restaurante praticamente do outro lado da rua. O valor do menu executivo era de 6500 pesos (um valor bem abaixo da média) e havíamos nos programado de jantar lá em nosso último dia.

No entanto, aquele vacilo básico, não perguntamos se eles abriam para o jantar e descobrimos que o local fechava às 18h (não sei se o horário muda no verão).

Rodamos pelo bairro de Monte Alegre (bastante interessante a noite) e acabamos parando no The Clinic Bar (fomos muito bem atendidos e o prato e bebidas que pedimos eram ótimos).
Vimos que a média do menu executivo por lá era de 8 mil pesos.

  • As áreas coletivas

Além da sala de estar no piso térreo, hà uma àrea externa para fumante (dà para ver na foto com o gato), além de uma varandinha ao lado do salao do café da manhà.

  • O café da manhã

O café da manhã é servido no último andar, em uma sala ampla e muito iluminada. Tivemos inclusive que fechar as cortinas, pois o sol batia na mesa e em nossos rostos.

Quando nos sentamos, uma pessoa encarregada da cozinha colocou na mesa um pratinho com frutas para cada um de nós e nos perguntou se queríamos suco de laranja ou de abacaxi, chá, leite ou café.

Enquanto comiamos nossas frutas (fatias de laranja, kiwi e maça), eles colocaram na mesa potinhos de iogurte e tigelas com cereais,  o suco, um pratinho com manteigas e geleias, cestinha com pães diversos, uma tigela com ovos mexidos (nos perguntaram antes se iríamos querer e como queríamos).
Para mim, água quente com uma embalagem de chá, para meu filho leite com chocolate e para meu marido café (ou café com leite, não me recordo – rs).

Não era abundante, mas o café foi bem diversificado e saímos dali satisfeitos. Não sei se poderíamos repetir!

A nossa impressão

Gostamos muito de hostel, pelo preço e principalmente pelo uso de cozinha, mas não teve como negar que aqui tivemos a melhor noite de sono de toda a nossa viagem.
Claro que o fato de ter ido em baixa temporada e pegar o hotel praticamente vazio facilitou muito, mas o conforto existiria no verão de qualquer forma. A nossa cama era super confortável e fez muita diferença.

A gentileza das funcionárias também conta em nossa avaliação positiva. Vimos apenas 4 pessoas (a recepcionista da manhã, da tarde e um rapaz que ficava durante a noite e a moça da limpeza e do café da manhã), mas todos eles foram super educados e nos ajudaram no que precisamos.

No entanto, aquela atmosfera viva que encontramos em hostel não ocorreu aqui. Posso até culpar a baixa temporada, mas mesmo se fosse alta, o máximo que iríamos ouvir das pessoas seriam um “Bom Dia” ou melhor “Buenos”.

E teve terremoto

Sim! Teve terremoto no Chile durante a nossa passada por lá e não estou falando da bebida!
hahahahahaha
E descobrimos isso graças ao desespero de meu sogro.

Naquela noite fomos jantar no rooftop do The Clinic e bebemos ali a tal bebida chamada Terremoto (uma delicia! Olha a fotinho da bebida e do porto ao fundo) e mandei para eles a foto da bebida.

Quando recebemos a mensagem no dia seguinte, pensei que ele tivesse interpretado mal o nome da bebida, mas teve terremoto sim.

E quem nos confirmou foi a moça da recepção, que perguntou se tínhamos nos assustado. O tremor não foi forte (4 graus em Valpo), mas suficiente para dar umas tremidinhas (e nem percebemos).


 Hotel Da Vinci, Valparaiso

 /HotelDaVinciV/
Urriola 426-428 Cerro Alegre
 www.hoteldavincivalparaiso.cl/
 
Reserve este hostel pelo Booking com link afiliado Turistando.in (Ao reservar este hostel, faça através deste link. Uma parte da comissão do Booking vem para a gente).


Veja aqui uma lista de hotéis e pousadas para se hospedar em Santiago


Nossa hospedagem foi cortesia do Hotel Da Vinci, mas o texto reflete a experiência vivida por nós 3, sem qualquer interferência.


Clique aqui para guardar este post dentro do Pinterest e ler depois. E siga nosso perfil!

🙂


Seguro viagem

Muita gente não faz, mas ficamos com tanto receio da altitude e de trilhas que faríamos quando fomos para o Peru e decidimos fazer seguro saúde. Foi a primeira vez que fizemos e, desde então, começamos a fazer para todas as nossas viagens (principalmente agora, viajando com o Léo). Dependendo da gravidade, médicos vão até a tua hospedagem te medicar. E eles também reembolsam medicações! Caso você não saiba muito bem como funciona, leia também nosso relato:  Seguro viagem (Dicas para viajar grávida ou com crianças)

Faça uma simulação com a nossa parceira Seguro Promo. Ao inserir o código TURISTANDOIN5, você obtém 5% de desconto.


Hospedagem

Temos parceria com o Booking. Toda vez que você fizer uma reserva usando os links e banner deste blog, eles nos pagam uma pequena comissão. Este valor ajuda a manter o nosso blog. E' uma forma econômica de nos ajudar (pois você não pagará nada a mais para o Booking). Por isso,faça uma simulação com o banner na lateral desta página ou clique aqui.

Outra forma de nos ajudar com hospedagens: o AirBnb oferece R$ 100,00* de bônus para novos inscritos desde que tua hospedagem ultrapasse R$ 190,00 *(sem contar com a limpeza). Para isso, faça seu cadastro usando este link.

(*) como o valor é medido em base ao dólar, ele pode sofrer alterações. Leia antes as regras.


Aluguel de Carro

Outra parceria do blog é com a RentCars, que oferece bons valores para o aluguel de carro, além de parcelar e de não cobrar IOF para carros alugados no exterior. Para fazer uma simulação, clique aqui. Assim como as hospedagens e o Seguro, ao fazer sua reserva utilizando os links do Turistando.in, receberemos uma comissão e isso ajuda a manter o blog sempre ativo.


About Juliana (www.turistando.in)

Sou a mãe do Léo quase full-time, professora de italiano (por algumas horinhas), esposa de um doutorando (que me deixa maluca) e, claro, a faz-tudo do Turistando.in!

11 thoughts on “Onde se hospedar em Valparaiso: Hotel Da Vinci

  1. As cores de Valpo! Os cerros de Valpo! A poesia de Valpo! Amo o contraste e o desafio que é essa cidade! Esse hotel me lembrou da minha viagem e fiquei nostálgica por aqui! O que fiquei era em Cerro Alegre, mas bem menos charmoso que esse! Eu adorei a decoração e o café da manhã estava com cara boa e fresca. Me encheu de vontade de voltar a Valpo, como fazer? <3

  2. Super dica, me hospedaria la com certeza, achei confortavel pelas fotos e o lance da internet boa é um presente no Chile, pois quando fui isso era um problema bem grande. Ainda não conheço Valparaiso, não lembro o motivo pelo qual não fui quando estive no Chile.

  3. Que hotel simpático! Obrigado pela sugestão. Ainda não conhecemos o Chile, quem sabe não estará incluído nos nossos planos futuros e eu já vou lembrar-me deste post cheio de boa informação. Obrigado!

  4. Que hotel fofo! Parece ser bem aconchegate e as fotos da rua são uma graça. Adorei as outras dicas também! Só não gostaria de ver um terremoto por lá…ficaria só na bebida mesmo..hahaha

  5. Obrigado pela dica, o hotel parece bem simpático. E gostamos de hotéis centrais, de onde se pode fazer muita coisa a pá, o que me parece o caso. Quando fomos, fizemos só o bate e volta, mas tá anotado!

  6. Que hotel fofo! e o café da manhã pareceu-me delicioso!

    Eu gostei muito de Valpo: diferente de vocês entretanto, me hospedei apenas em Viña e passei um dia em cada uma das cidades. Valpo estava chuvosa, cinza, muito fria e eu a adorei justamente por isso. ehehehe
    bjus

Gostou? Tem dúvidas? Nos deixe uma mensagem: