Como foi passar o Réveillon em Berlim com um bebê

Como foi passar o Réveillon em Berlim com um bebê

Passamos o réveillon de 205/16 em Berlim e confesso que, só não deixamos para ver as queimas de fogos pela TV pelo simples fato de que não tínhamos uma TV em nosso apartamento. (rsrsrsrs).

Tà vendo aì um monte de guarda-chuvas????

Heeeinnnn???? Como assim???? Voces estavam em Berlim na virada do ano e iam passar a virada em casa e sozinhos? 

Yep! Por pouco!

Bom, morávamos lá e isso é bem diferente do turista que vai para a Europa no final de ano para passar a virada na rua. A preguiça, graças ao frio, era bem maior e justamente no dia 31 garoava bastante.
Mas, acabamos indo, com o Léo a tiracolo e contarei aqui como foi!
😉

Primeiramente…. como é o Réveillon em Berlim?

No meio de dezembro comecei a procurar informações sobre onde passar o réveillon em Berlim e descobri que eles tem uma das mais animadas festas de  réveillon da Europa. Há muitas festas fechadas, estilo balada open bar e festas na rua (apesar do forte frio).
Gostaríamos, claro, de participar de alguma festa fechada, mas com o Léo ia ser inviável, então fomos para o plano B, que seria passar a virada na rua (que seria ruim com o Léo, mas viável).

  • Réveillon de rua

Nos interessamos por duas festas de réveillon que ocorreria “perto” de onde estávamos: a festa principal, que ocorre no portão de Brandemburgo e outra festa que ocorre na praça Breitscheidplatz, local da ruína da Kaiser Wilhelm Gedächtniskirche, no encontro da avenida Ku’damm (abreviação de Kurfürstendamm) e da Tauentzienstraße (a rua do KaDeWe).

Como morávamos ao lado de uma estação que passava pela Wittenbergplatz (estação perto do shopping KaDeWe), decidimos passar primeiro na festa da Breitscheidplatz e depois para a do portão.

mapa-festa-reveillon-berlim
O caminho que fizemos da festa da Kudamm’ até a coluna da Vitoria e o caminho até a festa
  • Festa na Breitscheidplatz (Gedächtniskirche)

Encontramos alguns blogs que diziam que perto do mercado de Natal da Gedächtniskirche, na Breitscheidplatz, ocorreriam 4 queimas de fogos, às 18hs, 20hs, 22hs e 24hs.

Achei estranho, principalmente porque as informações não eram tão exatas e não tínhamos certeza se seriam realmente 4 queimas de fogos até chegar meia noite.

Como esse local poderia ser nosso caminho para a festa principal, com entrada na Coluna da Vitoria, decidimos passar por ela e ver se era verdade: E sim sim sim!  Era verdade!
😉

Ocorrem mesmo as 4 queimas de fogos nos horários que coloquei acima!!!
(Evviva!!!!)

Bom, eles são alemães! Rsrsrs
Quando dá o horário marcado, começa uma super queima de fogos que dura uns 10 minutos. Apesar do frio, muita alegria e tudo termina no mercado de Natal, principalmente nas barraquinhas de bebidas

Para chegar até ela, veja quais são as estações mais fáceis para você: A Bahnhof Zoologischer Garten (U1, U2 e U9 e também S5, S7 e S75), Wittenbergplatz (U1, U2 e U3) ou a Kurfürstendamm (U1 e U9).

Veja aqui um mapa do metro

Leia também: Os mercadinhos de Natal em Berlim e Bremen

  • Portão de Brandemburgo (Brandenburger Tor)

Essa é a festa principal do Réveillon de Berlim e é uma das maiores da Europa, segundo o site VisitBerlin e ela ocorre em frente ao famoso portão. Por algum motivo, eles haviam colocado uma roda gigante em frente ao portão (não sei se isso é tradição).

Também não sei se isso sempre ocorre, ou se foi uma precaução por causa dos atentados em Paris de 2015 que ocorreu no mês anterior à festa, mas vimos que todo o parque Tiergarten estava fechado. Tanto que, tínhamos uma visita ao Reichstag agendada dia 27 (precisa reservar, veja aqui como) e tivemos que dar uma baita volta (nosso plano era passar pelo parque pra ver como ele ficava no inverno).

New Year's eve at Brandenburg Gate – © Scholvien/visitBerlin, 2012
Silvester am Brandenburger Tor | New Year’s eve at Brandenburg Gate – © Scholvien/visitBerlin, 2012

Bom, havíamos lido em alguns blogs que eles pediam para que chegássemos cedo ao portão, pois corria o risco de não nos deixarem entrar.

A festa é aberta, mas poderiam não nos deixar entrar????

Exato!
A festa é aberta, mas eles fecham um cerco e ninguém entra!

Se tua ideia é ficar ao lado do palco, você precisa chegar ainda de tarde. Oficialmente a festa começa às 19hs (por volta das 16h já é noite), mas é melhor chegar antes. A abertura para a festa começa a partir das 12hs.

A festa acontece atrás do Portão de Brandenburgo, ao longo da Avenida Str. des 17. Juni. Não sei se há várias entradas, mas nos indicaram aparecer na rotatória da coluna da vitória (Siegessäule) e para lá fomos. Veja o caminho que tracei no mapa acima.

Para chegar até ela, veja quais são as estações mais fáceis para você: Nós partimos da Wittenbergplatz e fomos andando, mas a estação mais perto é a Tiergarten ( S5, S7 e S75) ou Hansaplatz (U9).

Veja aqui um mapa do metro

Expectativa x Realidade: como foi o nosso réveillon em Berlim?

Saindo do plano das informações e indo para o plano da realidade: passar o Natal na Europa pode ser lindo, mas passar a virada na rua pode ser decepcionante. Eu fico feliz por ter ido e tido essa experiência, mas não é nada como o que presenciamos no Brasil (ou até mesmo por fotos).

  • O tempo em Berlim

Dia de Natal teve sol e boa temperatura!

Para começar, lembre-se que durante o ano novo, a Europa está em pleno inverno e Berlim é uma cidade muito fria.

Acho que tivemos sorte, pois o inverno de 2015 não me pareceu tão rígido quanto nos diziam e tivemos lindos crepúsculos nos últimos dias do ano.

Crepúsculo do dia 27 de dezembro

Massssss….. para o nosso azar, justamente no último dia do ano, fez muito frio (-3) e garoou.
Tudo para nos desencorajar!

Junto com a chuva, veio a névoa, que cobriu a cidade durante todo o dia 1 (e depois veio a neve).

Leia também: Qual roupa usar no inverno europeu e americano?

E a noite da virada: frio, garoa e neblina!!!!
  • Apesar da preguiça, fomos

Ficamos ensaiando para sair de casa. O plano era tentar sair de casa às 18h, para pegar as primeiras queimas de fogos da Breitscheidplatz e partir para o portão de Brandemburgo. Mas quem disse que rolou?

Olhávamos para o tempo lá fora, para a garôa e para o frio e fomos empurrando com a barriga.
Saímos com destino à chegar na estação da Ku’damm às 22hs e, mesmo assim, por pouco não fomos. Colocamos o Léo no sling e meu marido vestiu um casaco grande que daria possibilidade de fechar o Léo ali dentro e fomos!

  • Primeira festa: Breitscheidplatz (Gedächtniskirche)

Evviva!!!! Tá acabando o ano!!!!!

Chegamos na estação Kudamm’ na hora dos fogos. Por sorte, são vários minutos de queimas e não perdemos também essa.
Descemos na estação Kurfürstendamm (U1 e U9) e mesmo um pouco longe do local, deu para ver e se emocionar!

Já que estava aberta, entramos na igreja Kaiser Wilhelm Gedächtniskirche e do lado de fora, compramos um vinho quente (Glühwein) no mercado de Natal da Breitscheidplatz para nos aquecer e nos esconder da garôa.

Poderíamos (aliás, deveríamos) ter ficado por ali, mas decidimos seguir sentido a festa principal no Brandenburger Tor .

  • Segunda festa: Brandemburg Tor 

Conseguiram ver a roda gigante? rsrsrsrs

Depois de um tempinho, saímos em direção ao portão de Brandemburgo.

Se vocês olharem para o mapa acima irão ver que é um pouco distante de onde estávamos e o único modo era fazer tudo aquilo andando até o Siegessäule (Coluna da Vitória) para entrar na festa.

A merda é que, como disse acima, eles fecham a entrada depois de uma quantidade x de pessoas e não deixam mais ninguém entrar.

Na foto ao lado, mostro o bloqueio policial e a rua vazia. Ao fundo, bem ao fundo, a roda gigante e a festa.

Não deu para entrar? E ai?

A coluna da Vitoria cheia de gente; fumaça por todo canto.

Deveríamos ter voltado para a festa da Breitscheidplatz, mas ao invés disso, nos unimos à uma quantidade imensa de alemães e estrangeiros que decidiram ficar em frente à coluna da vitoria aguardando a meia noite.

A esperança era poder ver alguma coisa, mas o povo é tão doido, mas tão doido que muito antes da meia noite eles estavam soltando rojões e o céu ficou mais nublado ainda!

Confesso que temi algum rojão em cima de mim! E passou pela minha cabeça a possibilidade de atentado!
Acreditem em mim quando digo que aquele povo é louco: eles jogavam rojões dentro das escadarias, cestas de lixos e túneis. Qualquer canto onde o barulho pudesse ser bem maior.

E quando chegou a meia noite… a alegria foi ouvir o “countdown” em alemão (até em português ouvimos) e em seguidas os hurras!
Mas fogos bonitos, necas!

Apesar do frio e de não termos entrado na festa oficial, foi uma experiência inesquecível! Sabe aquelas coisas nas quais precisamos vivenciar antes de morrer? rs

Péssima selfie: Nós 3 passando frio e aguardando. Atrás, não se enxergava nada!

Depois disso seguimos a pé até a estação Wittenbergplatz  e ainda no caminho percebemos que ainda estava rolando fogos na Breitscheidplatz (entenderam agora porque havíamos nos arrependidos de termos saído dali? Mas tudo bem!).

Curiosidades:
1) Disse acima que o alemão é doido. Sim, reafirmo: eles são! No caminho para o metrô, após a meia noite, vimos algumas pessoas estacionarem o carro e, do nada, começar a soltar fogos de artificio; Dois minutos depois entravam no carro e iam embora!

2) Um dos motivos que me fez sair de casa com o filhote no frio e garôa foi, além de poder vivenciar aquilo, o fato de que estávamos morando em um bairro de periferia da classe média e achávamos que ali não iria ocorrer nada! Retornando ao nosso apto, vimos muitas, mas muitas caixas de jogos de artifícios no chão.
Isto é, se você não conseguiu entrar na festa da Brandemburgo ou quis ficar perto de algum mercado de natal (para beber e comer), certamente vc terá diversão!

3) Sacou o que escrevi antes? Caixas e caixas de fogos de artificio no chão!
Exato!
Sabe aquele complexo de vira-lata de que o brasileiro é um povo porco e que joga tudo no chão? Bom, quem diz isso, nunca caminhou por Berlim no primeiro dia do ano!
Além da sujeira dos fogos de artificio (caixa, embalagem de papel e de plástico, varetas e etc), tem muita garrafa de bebidas no chão!

E você?
Jà passou o ano novo na Europa? Como foi?


Clique aqui e salve este post dentro do Pinterest para ler depois e siga nosso perfil!
🙂

 

About Juliana (www.turistando.in)

Sou a mãe do Léo quase full-time, professora de italiano (por algumas horinhas), esposa de um doutorando (que me deixa maluca) e, claro, a faz-tudo do Turistando.in!

32 thoughts on “Como foi passar o Réveillon em Berlim com um bebê

  1. Nunca passei o Ano Novo na Europa nao, hehe!! Confesso que não tenho muita vontade (minha queda maior é pelo Natal e pelos seus Mercados…), mas, se um dia tiver oportunidade, já sei onde passar em Berlim, haha! Bjs!

  2. Gente, mas como vocês deram conta de ir com um bebê a um lugar onde estavam soltando rojões? Eu fico morrendo de dó, porque aquele barulho é infernal, ainda mais para um bebê que se assusta à toa.
    Espero que vocês tenham se divertido bastante e que comemorem muito as festas de fim de ano agora. Feliz 2017!

    1. hahahahaha
      Gisele…. Pode até ter sido imprudência nossa, mas essa foi a 2° virada do Léo e em ambas ele dormiu tao pesado que nem rojões super barulhentos o acordava!
      Hoje, com 2 anos e 3 meses, ele ouve o barulho e berra “gooool”!
      hahahahahaha
      Ele não se assusta!
      😉
      Boas festas para você! E muitas boas viagem para 2017!

  3. Ótimo saber que o reveillon em Berlim é animado; Olha já passei a virada em Munique e confesso que não curti muito. Claro que não estava esperando a queima de fogos de Copacabana, mas o que vi eram Alemães brincando de guerra de fogos na praça. O frio também desanima. Mas acho que estando com um grupo de amigos ou com uma companhia legal, tudo muda de figura né?
    bjs
    Dani Bispo
    abolonhesa.com

  4. Eu acho que aqui no Brasil o povo pira demais com o réveillon. Já tive a chance de passar em vários outros países e as festas são bem mais moderadas. Eu adoraria passar em Berlim. Amo Berlim, no frio, no calor, com ou sem fogos de artifício. haha

    1. Oi Fe… obrigada pelo comentário!

      Eu acho que muita gente pira com a virada, mas é realmente complicado sair de casa na garoa, com temperaturas baixas….
      Mas te entendo: eu também amo Berlim (traindo meu sangue italianissimo – rsrsrsrs) em qualquer momento do ano!
      😉
      Boas festas para você!!!!!

  5. Muito legal seu relato e as informações. Espero ainda passar um revellion na Europa, já tinha lido que Berlin é mesmo um dos melhores lugares! E ainda bem que não tinha TV no apartamento né? Abraços

    1. Oi Amilton … obrigada pelo comentário!

      Sim sim sim! Ainda bem mesmo! Eu nao iria deixar o frio e a preguiça de meu marido eliminar a minha chance de vivenciar aquela virada!

      E se eu fosse você, naquele teu super calendàrio de feriados, colocaria o Revéillon là (rs). Acho que vc iria curtir as super festas fechadas berlinenses (que dizem ser maravilhosas).
      😉
      Boas festas para você!!!!

    1. Oi Jù … obrigada pelo comentário!

      Eu sempre tive muito medo de voltar a viajar apenas com o Léo maiorzinho mudar totalmente nosso tipo de viagem (tipo,comprar uma caravan e ficar em resorts – rs). Claro que turismo de aventura não rola, mas jà fizemos um monte de viagem com ele (desde que ele completou 3 meses). Isto é: não é um limitador não!
      😉

      Boas festas para você! Filhos são deliciosos!

  6. Deve ter sido uma experiência bem marcante mesmo. Adorei sua consideração final, sobre o “complexo de vira-latas”. Brasileiro tem costume de exaltar os defeitos do Brasil e ignorar os mesmos defeitos em outros países. 🙂

Gostou? Tem dúvidas? Nos deixe uma mensagem: