Frutos do mar no Nunes Real Marisqueria – Lisboa

Nunes Real Marisqueria

Frutos do mar no Nunes Real Marisqueria

Dentre todas as comidas típicas de Portugal, pensamos também em conhecer uma marisqueria, visto que eles tem muito mar e certamente muitas opções e tipos diferentes do Brasil. Escolhemos o Nunes Real Marisqueria, um pouco mais para frente do Mosteiro dos Jerônimos!
Como alguns já devem ter lido, eu e meu marido fomos para Portugal para comemorar 4 anos de casados e 4 meses de gravidez! Escolhemos Portugal para uma longa comemoração  e o Nunes Real Marisqueria para o “tintim“!

Couvert

Começamos com o couvert, pães e manteigas, acrescido de uma porção deliciosa de presunto cru espanhol Pata Negra. Para beber, fomos de vinho branco, que eu pude apenas degustar!
😉
Fiquei na água mesmo!
.

 .

Entradas

Na sequência, chegaram as entradas: Vieiras, com um sabor bem delicado e uma textura bem macia; as Ameijoas à Bolhão Pato, um prato bem português da região de Extremadura, finalista do concurso  As 7 maravilhas da cozinha portuguesa (leia aqui), também delicioso, mas com um sabor bem mais forte que a Vieira e a minha paixão à primeira vista, a Casquinha de Santola.
.

.

Difícil dizer qual era a melhor, mas eu gamei, amei e me deliciei na casquinha de Santola. Simplesmente divina!

Não que o restante não fosse. Eram! Mas temo em dizer que este prato foi o melhor fruto do mar que eu comi em minha vida! Não estou exagerando! (Alguém sabe onde tem este prato aqui em SP??? rs)
.
A Santola
 .

E eis, o prato principal

Na sequência, pedimos frutos do mar (você escolhe uma seleção e paga por peso) e apareceu um garçom com pães e molhos, e outro garçom colocando uns “instrumentos” no local do garfo e faca.
Um olhou para o outro com cara de: “hein” e na sequência apareceu nosso prato magnifico de frutos do mar!
Bom, nos viramos para o garçom que nos serviu, um senhor muito simpático chamado Pedro e pedimos orientação para usar o “garfo e faca” que eles haviam acabado de nos deixar na mesa.

Com muita alegria, ele nos mostrou como usar e nos apontou qual era a lagosta, os 3 tipos de camarões (de Algarve, do Porto e de Setúbal), a gamba e as canilhas!

.

De todas essas maravilhas, não tive coragem de provar exatamente as canilhas, um tipo de marisco, que fica dentro de uma concha. Tínhamos que retirar e a sensação que tive era que o bichinho estava cru e vivo (assim como a ostra)!
O Thiago comeu e gostou!

Mas uma cena vai ficar para sempre na nossa lembrança. Estávamos terminando quando o Pedro voltou em nossa mesa disse:
Perai, deixar um camarão, algumas canilhas, ok, mas vocês estão deixando muita lagosta!
Olhamos para ele como quem diz: “Onde????

E ele: “Aqui! Estão vendo estas perninhas? Cortem essa parte, quebrem esta outra e vocês encontraram um “lombinho” aí!

Ok, era ele quem mandava. Lá fomos nós! Mas a perna era tao fininha que eu pensei:
Mas será que vale o esforço?” 
E valia!
Apesar de fininha, saiu dali um pedaço bom e consistente da lagosta! Um ótimo “lombinho“!
😉

 E por fim, a sobremesa

Terminado, fomos para a sobremesa.

Eu escolhi um Tarte de Limão merengada, uma torta de limão um pouco diferente. Havia uma camada de doce de limão e outra de um merengue gostoso, que tirava o super doce das tortas tradicionais de limão (o Thiago não curte muito mas adorou este doce) e um delicioso sorvete de framboesa com champagne.

O Thiago ficou com um doce de mil folhas, não me lembro exatamente qual era o recheio e um curioso e gostoso sorvete de cerveja Sagres e ele nos ofereceu um copo com creme gelado de limão.
Não achei isso no menu, mas estava bem gostoso e refrescante!
.

Preços:

Frutos do mar são caros, mas era por uma boa ocasião!
😉
Os valores dependem, claro, do que for pedido, mas é possível fazer um almoço ou jantar por 25€. Ao lado segue um scan do menu. Cliquem para aumentar.

Endereços:

Rua Bartolomeu Dias nº 120 | Lote D1 Loja  – Belém
 http://nunesmarisqueira.pt/

About Juliana (www.turistando.in)

Sou a mãe do Léo quase full-time, professora de italiano (por algumas horinhas), esposa de um doutorando (que me deixa maluca) e, claro, a faz-tudo do Turistando.in!

Gostou? Tem dúvidas? Nos deixe uma mensagem: