O que levar na mala de viagem do bebê?

O que levar na mala de viagem do bebê?

O que levar na mala de viagem do bebê?

Preparar mala de viagem é uma tarefa árdua para muitos. Pense então como é montar a mala do bebê, principalmente a mala da 1° viagem! Direi que não é uma tarefa simples e tenho certeza que algo, por mais empenho teu,  será esquecido.

Fiz, no passado, um post sobre o que era melhor: Viajar de mala ou de mochilão e uma das dicas que dei é: leve roupa para uma semana ou 5 dias (caso a viagem seja mais longa que isso) e use o serviço de lavanderia.
Mas e com bebê?
Bom, eu não fiz isso e não aconselho fazer! Ok que nosso bebê precisa ganhar anticorpos, para sua própria proteção, mas acho que aqui não é o caso!

Montando a bolsa de mão:

Essa é a bolsa que você usará até chegar ao hotel.
Tenha em mente o tempo do voo e a idade de teu filho, mas o ideal é ter 3 trocas de roupas extra, paninhos para limpar a boca, babadores, chupetas e mamadeiras (se o bebê usar) e a necessaire para troca emergencial (fraldas, lencinhos umedecidos, pomada contra assadura e algodão).
O ideal é que essa necessaire esteja em uma bolsinha separada, que facilitará tua vida a troca durante o voo, por exemplo.
Leve uma manta ou uma blusinha para o voo e prepare também a comidinha do bebê. Escolha alguma frutinha que ele goste, como maçã, pera, banana; a papinha industrializada pode não ser uma maravilha, mas é prática. Você abre, serve e joga o potinho fora.
Se teu bebê tomar leite em pó, reserve uma parte com a quantidade exata que você deverá oferecer no período do voo e deixe uma mamadeira com água pronta. Vai que você não consegue achar água?

Montando a malinha:

* Quanta roupa levar?

Depende da idade do teu bebê!
Quando fizemos a primeira viagem com o Léo, era verão e ele tinha pouco mais de 3 meses. Mamava no peito exclusivamente, golfava bastante e fazia muito cocô molinho (e que muitas vezes vazava). Por isso, naquela ocasião, mesmo sabendo que eu poderia utilizar a mesma roupinha o dia todo e, dependendo da situação, duas vezes a mesma roupa, eu coloquei na malinha dele o equivalente a 3 peças de roupas por dia, sendo que 1 delas era um macacão fino de manga comprida para a noite ou caso caísse a temperatura.
Claro que ele acabou não usando todas, mas é melhor prevenir!

Quando fizemos a viagem para a Argentina, era inverno e o Léo tinha pouco mais de 7 meses, já comia papinha e tinha o intestino mais reguladinho.
Ficamos 9 dias na cidade e levei 3 bodys de manga curta, para caso algum dia fizesse calor (e ele não as usou) e  3 kits de roupa de frio para cada 2 dias, mais 2 jaquetinhas de frio e duas calças quentinhas que eu usava por baixo do macacão ou da própria calça do dia.

Além das roupinhas para uso diário, levei pijaminhas, meias, um bonezinho, 2 gorrinhos (na viagem de inverno), um sapatinho (mais para enfeite, visto que ele não caminhava nas duas viagens), uma mantinha (leve no verão e mais pesada no inverno), duas toalhas e meu sling.
* Fraldas
Você pode escolher entre levar um pouco de fralda (para o uso durante o voo e nos primeiros dias) ou levar de casa a quantidade que teu bebê poderá usar em toda a viagem.

As fraldas não pesam, mas fazem volume. Pense no que é melhor para você. Lembre-se que você poderá comprar no local que você for visitar. Mas nunca leve uma quantidade certinha. Vai que você não encontre uma farmácia aberta, ou que esteja chovendo, que tua marca preferida esteja em falta, ou pior: que seja muito mais cara! Rs

* Produtos de higiene do bebê
 
Leve o que você usa no dia a dia, como por exemplo: shampoo, sabonete (se for RN, aqueles “cabeças ao pé” é perfeito!), óleo ou creme hidratante, lencinhos umedecidos, pomada contra assadura (prevenção e tratamento), algodão (eu também o uso como esponja para o banho), cotonete e álcool gel.
Sem querer fazer propaganda, a linha mamãe bebê da Natura tem um kit da maioria dos produtos acima em embalagem de 50ml, perfeito para viagem.
Ah, não se esqueça do álcool gel, que serve não apenas para limpar nossas mãos, mas também para limpar a banheirinha que o hotel reservou. Após a limpeza, a lavei com água bem quente. Outra ideia bacana, que eu deveria ter feito na Argentina era comprar uma banheirinha inflável.
Se teu filho tiver idade para usar, leve também um protetor solar (peça indicação para o pediatra).
* Remédios do bebê
 
Seu bebê certamente toma algum polivitamínico; Se ele tiver alguma febrezinha, vai precisar de um analgésico e antitérmico (eu dou o tylenol bebê) e se você for para algum local de frio, talvez seja uma boa levar o aparelho inalador e alguns tubinhos (ou uma garrafinha) de soro fisiológico.
Esquecemos o Adtil na primeira viagem e tivemos que comprar. Ao voltar na consulta, o médico receitou outro tipo de polivitamínico. Resultado: tenho dois vidrinhos deste remédio aqui em casa.
* Acessórios:
Aqui sempre terá algo que você acabará esquecendo. Eu esqueci a tesourinha de cortar unha em Gramado!
Algo que não uso diariamente e que me fez uma imensa falta. E o pior: aqui em SP, o kit com tesourinha, mini cortador de unha e lixa da Mundial custa menos de R$ 20,00. Em Gramado, achamos apenas a tesourinha por R$ 50,00!!!!
Se a viagem for no inverno e você ficar muito tempo na rua, compre uma bolsa térmica para mamadeira (ou improvise com isopor de garrafinha de cerveja – rs). Em Rosário não ficamos muito no frio, mas na Alemanha sim e, além de não levarmos, não achamos por lá!
Quando saímos de casa para um museu ou para um parque, por exemplo, eu aquecia muito a água e enrolava a mamadeira com panos (além de tentar deixa-la embolada no meio da bolsa). As vezes dava certo! Na hora de dar o leite para o Léo, a água ainda estava quente ou morna. Outras vezes, a água estava tão fria que éramos obrigados a parar em algum café que tivesse micro-ondas e pedir algo (e nem todo café tem micro-ondas. Chegamos a rodar um bairro a procura e foi difícil).
Além da tesourinha, não se esqueça de chupetas e mamadeiras (caso ele as use). Bonés ou óculos específico (não compre qualquer tipo) no verão ou gorros, cachecol, luvinha no inverno.

About Juliana (www.turistando.in)

Sou a mãe do Léo quase full-time, professora de italiano (por algumas horinhas), esposa de um doutorando (que me deixa maluca) e, claro, a faz-tudo do Turistando.in!

Gostou? Tem dúvidas? Nos deixe uma mensagem: