Onde se hospedar em Santiago: Hostal Providencia

Hostal Providencia

Hostal Providencia

Ficamos 12 noites em Santiago (dos 16 no Chile) e terminamos a nossa viagem no Hostal Providencia, um hostel imenso, que atende tanto o público jovem e mochileiro, quanto idosos e familia com crianças. Foram 3 noites aqui com nosso filhote de quase 3 anos antes de retornarmos ao Brasil.

Avaliação do Hostal Providencia:
Sua avaliação online também é boa: TripAdvisor (4 de 5), Booking (8.3 de 10) e HostelWorld (8.7 de 10) (notas de out/2017).

.

Como chegar até o Hostal Providencia?

O Hostal Providencia se localiza na Rua Vicuña Mackenna, 92 e está a 500 metros da estação Baquedano da linha verde e vermelha do metrô (uns 6 min. andando em linha reta e plana) e a 400 metros da estação Parque Bustamante da linha verde do metrô (uns 5 min. andando).

A localização é boa e fizemos boa parte do centro a pé. A região é tranquila e segura (caminhamos bastante a noite por ali) e está perto de praça (com playground infantil), de supermercado e restaurantes.

Ele fica a poucos passos da Praça Itália, do museu de Bellas Artes e de Arte Contemporânea; do parque Florestal (ótimo local para caminhar e levar crianças para brincar), do Cerro Santa Lucia e da Pio Nono (rua cheia de bares e restaurantes e que termina na entrada do Parque Metropolitano no Cerro San Cristobal).

Deste hostel também fizemos a pé o centro histórico até a Moneda.

Conhecendo o Hostal Providencia

O Hostal Providencia é mais um antigo casarão transformado em hostel. Ao entrar e caminhar pelo piso térreo é possível perceber que são 2 prédios que o constituem: um antigo (na parte da frente) e um mais moderno (aos fundos).

Logo ao entrar, vemos uma sala com o balcão de informação turística e um sofá. Deste ponto, à esquerda, tem as escadarias para os quartos desta ala (que chamarei de ala antiga) e para a direita, a recepção, uma das salas de estar com TV, uma pequena cozinha com máquinas de lavar e secar e um corredor.

No início deste corredor encontramos a porta que nos leva para a área externa e para a outra ala (que chamarei de ala moderna). No térreo desta ala temos mais outras cozinhas pequenas, o espaço para café da manhã, que vira refeitório a tarde e dá lugar para o bar que abre a noite.
Ainda por aqui tem uma sala com computadores e mais outras salinhas com pufs e sofás.

O espaço entre essas duas alas é uma área aberta para fumantes com mesinhas. Parece que tem alguns quartos por ali.
O ruim é que esta área é totalmente aberta e quando chove ou neva (é raro, mas nevou quando estávamos ali), quem está hospedado na ala antiga precisa passar por ela para ir até a ala moderna tomar café da manhã e quem está na ala moderna, precisa passar por aqui para ir até a recepção ou sair do prédio.

Quando visitamos, choveu e nevou um pouco e tivemos que fazer este percurso na chuva (não era uma tempestade), mas como não existe uma outra ligação entre essas alas por dentro, se a chuva estiver forte demais, peça guarda chuva na recepção.

  • Acessibilidade

Da rua, temos 3 degraus e depois, para abrir a porta do hostel, mais 2

Como disse acima, o hostel Providencia é a união de 2 prédios, um antigo e outro moderno aos fundos.

A entrada do prédio antigo é pouco acessível. São 3 degraus para chegar até a porta do hostel (e deste ponto, mais 2 degraus) e infelizmente não há rampas. Todo o restante do hostel se encontra no mesmo plano, mas para acessar os quartos desta ala antiga, precisa subir um longo lance de escadas sem elevador.

Em contrapartida, o prédio dos fundos é mais moderno e tem elevador e se encontra no mesmo plano que a recepção. Como não nos hospedamos nesta ala, não sei dizer nada sobre ela.

Desta forma, quem tem mobilidade reduzida, apòs esses degraus, conseguirá acessar todo o andar térreo (até a recepção), plano onde se encontram o restante das áreas coletivas (como cozinhas, salão do café da manhã, área externa e recepção).

Para reservar um quarto na ala moderna, escolha a opção  “quarto superior” para garantir reserva neste lado.

  • A nossa suíte

Nos hospedamos no quarto 20, um quarto privado com um beliche, uma cama de casal e banheiro privativo e que se encontra na ala antiga. Para chegar até ele, precisamos subir um lance de escadas e seguir reto o corredor (que é cheio de objetos antigos de decoração e alguns sofás).

Não sei se o hostel oferece bercinho. Talvez sim (visto a quantidade de famílias com crianças que vimos por ali), mas como o Leo não aceita mais, não perguntei.

O quarto não era muito grande, mas tinha um bom espaço. Nele tinha um armário ao lado da porta e na sequência o beliche. Ao fundo, a cama de casal, cada uma com uma cômoda e luminária e na frente da cama um gaveteiro com uma TV com canais a cabo e um aquecedor elétrico na parede (nos disseram que eles ligam automaticamente, mas precisa que a luz esteja acesa).

O banheiro se encontra na frente da cama de casal. Ele é pequeno com uma banheira fechada por uma cortina e com água bem quente (precisa esperar uns 2 minutos para a água aquecer).

A limpeza da suíte é feita diariamente caso você queira. A gente pediu apenas para que as moças limpassem os lixos (o Léo estava em processo de desfralde, mas na viagem resolvemos manter as fraldas).

  • Internet

Perto do salão do café da manhã tem um salão com computadores conectado à internet para uso dos visitantes (sim, é um senhor de idade na foto) e Wifi por todo o prédio.
A conexão wifi é grátis e boa, com repetidores nos andares.

Não tivemos nenhum problema.

Detalhe: nevou no nosso último dia e alguns bairros ficaram muito tempo sem energia. Este foi um dos presenteados e ficamos sem internet.
Um dos recepcionistas inseriu o código de acesso da internet privada e emergencial do hostel para que eu chamasse um Uber!

  • As cozinhas

Este foi o hostel que mais encontramos cozinhas! Todas elas são pequenas, mas acho que há uma soma de 4 cozinhas. Todas equipadas com os utensílios básicos e sempre com algum temperinho deixado de lado por algum viajante.

Cozinhamos apenas 2 vezes neste hostel e o único problema que encontramos, apesar de ter 4 cozinhas, foi encontrar uma panela grande disponível (quando fomos, tinha muitos grupos de amigos que faziam um panelão de macarrão e, ao invés de se servirem e liberarem a panela, levavam a mesma para a mesa deles e iam se servindo aos poucos).

O que não gostamos é que eles proíbem a entrada de bebida alcoólicas nas dependências (pois eles vendem cerveja e drinks no bar) e com isso, não pudemos tomar o vinho que havíamos comprado.
Bom, pelo menos foi essa a explicação que nos deram quando pedimos um saca rolhas.

  • Áreas coletivas

Este é aquele típico hostel internacional que promove a interação entre seus visitantes. Em cada canto encontramos salas com pufs, sofás e mesinhas. Se teu objetivo é ganhar novos amigos, este hostel te oferece clima para isso.

Como o Léo passou mal dias atrás (comentei em um post anterior que tivemos que cancelar a nossa ida para Santa Maria e que recebemos a visita de um médico em nosso hostel – dica: façam seguro viagem), pegamos leve no final da viagem e demos um jeito de retornar ao hostel a tarde para que ele fizesse uma soneca.
Com isso, pouco utilizamos destas áreas coletivas, exceto a cozinha.

Todas as noites eles oferecem um determinado prato. Você paga o valor estipulado antecipadamente na recepção e no horário do jantar, você comparece no bar e retira o prato (geralmente é um prato quente e uma bebida). A única vez que participamos de alguma interação foi na noite do hot dog, no qual eles serviam 2 hot dogs (a gente montava o recheio) e uma caneca de cerveja. Mas independente do prato, se tem muita gente, vira uma festa bem animada.

Os pratos da semana
  • O café da manhã

O Léo não era o ùnico bebe no hostel

O horário do café da manhã é o mais agitado de todo o hostel e o valor está incluso no preço da hospedagem.
Diria que é um senhor café da manhã e foi o melhor que tivemos nesta viagem, apesar da simplicidade.

Em nossas mesas, manteiga (sim, manteiga!), dois tipos de geleia e doce de leite.

Para nos servirmos, em um balcão encontramos uma cesta com diferentes tipos de pães ao lado de uma torradeira elétrica e expressa.
Ao lado, cereais (3 tipos diferentes), leite frio, ovos cozidos e ovos crus (para quem quiser fazer ovos mexidos) e uma cesta com diversas frutas.

No outro balcão, leite quente, suco de fruta, água quente, saches de chás, pó para café solúvel e café de coador.

E você pode repetir quantas vezes quiser (uma hora foi pão com ovo, depois com doce de leite, depois com manteiga e por ai foi – rsrsrsrs).

  • A lavanderia

Não lavamos roupas aqui, mas vimos que há máquinas self service para lavagem e secagem. É ruim ter que prestar atenção na hora da lavagem, mas pelo menos, corremos menos riscos de perder as nossas roupas, né?
Não sei se você pode pagar para alguém lavar para você!


Family hostel, Backpacker hostel ou Party Hostel?

Tenho dito por aqui sobre a primeira vez que me hospedei em um hostel festeiro e que foi difícil dormir. Depois disso, comecei a buscar informações para saber se o local é “festeiro” ou não.

Bom, o Providencia é um hostel para mochileiros, é um Family hostel e é um Party hostel.
Nos dias que estivemos, vimos muitas famílias com crianças (algumas famílias com bebês como a gente – no próprio site eles afirmam que crianças são bem-vindas), pais com filhos adolescentes, casais adultos, viajantes solo, mas muitos jovens em grupo de diversas nacionalidades.

O local onde se serve o café da manhã vira um bar à noite, mas apesar da festa que acontece ali todas as noites, o local não está próximo dos quartos e há um limite de horário. Pelo menos não vi nenhum quarto ali naquele pedaço e o barulho da festa não nos incomodou.


A nossa impressão

Agora que descrevi a vocês como é este hostel, contarei como foi a nossa impressão, ainda mais como foi estar ali dentro com uma criança.

Bom, fomos no inverno e o hostel estava lotado. Se quiserem ficar aqui, agendem com antecedência. O pessoal do staff é simpático, bem numeroso e composto por pessoas multilíngues (vários brasileiros). Certamente você não se sentirá perdido por lá e se se sentir, tem um guichê especifico para informações turísticas (rsrsrsrsrs).

O local é imenso e com diversas salas de convivência. Se teu objetivo é criar amizades, certamente você conseguirá.
Nós mesmos, que estávamos quietos em nosso canto fomos “abordados” durante o café da manhã por uma brasileira professora de espanhol (que conversou conosco por 10 minutos e depois saiu para fazer o mesmo com outras 3 mesas), por um senhor francês que viajava com a filha adolescente e começou a falar de polìtica francesa com o Thiago (sim, ele entende política francesa e francês) por um rapaz que se encantou com o Leo e garantiu que ele será um grande diplomata ou político – hahahahaha – graças ao aperto de mão da foto em questão.

Ficamos na ala antiga e com isso, não posso opinar nada sobre a outra ala.
A que ficamos era bem tranquila, exceto por alguns hóspedes sem noção que falavam ao telefone no corredor. Como há sofás e banquetinhas por lá, algumas pessoas passaram a se acomodar e conversar via Skype (e nem fone de ouvi usavam).

O nosso quarto era ok, apesar de simples atendeu as nossas necessidades. O aquecedor funcionou perfeitamente e cada cama tinha umas 2 cobertas. A cama é confortável e tivemos boas noites de sono aqui. O que me incomodou no quarto foi a janela de vidro em cima da porta, que leva toda a iluminação para o quarto (uma cortininha resolve o problema).

O banheiro, assim como o quarto e as dependências do hostel, é bem limpo, com uma janela para o lado de fora. O que nos desagradou é que a janela de ventilação do banheiro coletivo está na parede de nosso banheiro e com isso, recebíamos barulho e odor por essa janelinha.

O café da manhã não tinha nada de especial, mas era bom, abundante e com produtos de qualidade. Foi o melhor café da manhã que tomei em hostel no Chile.

Se você busca festas e diversão, encontrará muita gente por aqui. E se você busca tranquilidade, apesar da agitação noturna, o barulho não chega aos quartos desta ala.

Para quem viaja com crianças, posso também dizer que nos sentimos “em casa”. Além de nós, vimos muitas outras famílias com filhos (e até bebês). Como eu já comentei, é comum ver famílias com crianças em hostels (por isso, não tenha medo!).

Aqui muita gente também interagiu com o Léo e se precisar, tem um playground no Parque Bustamante, na rua Ramón Carnicer.


Hostal Providencia

 /HostelProvidencia
 Rua Vicuña Mackenna, 92
www.hostalprovidencia.com/
 Reserve este hostel pelo Booking com link afiliado Turistando.in (Ao reservar este hostel, faça através deste link. Uma parte da comissão do Booking vem para a gente).


Veja aqui uma lista de hotéis e pousadas para se hospedar em Santiago


Nossa hospedagem foi cortesia do Hostal Providencia, mas o texto reflete a experiência vivida por nós 3, sem qualquer interferência.

 

Salve este post dentro do Pinterest para ler depois e siga nosso perfil!
🙂

 

About Juliana (www.turistando.in)

Sou a mãe do Léo quase full-time, professora de italiano (por algumas horinhas), esposa de um doutorando (que me deixa maluca) e, claro, a faz-tudo do Turistando.in!

11 thoughts on “Onde se hospedar em Santiago: Hostal Providencia

  1. Ju você bem sabe que sou meio contra hostel para família, mas estou mudando completamente de opinião dpois de ler os seus relatos e até de conversas contigo. Esse em questão me pareceu bem aconchegante, bem família.

    Gosto da ideia de fazer amizades e sei que isso é muito forte nesse tipo de estabelecimento, assim como você mesma mencionou. Que bacana e que experiência agradável! Com certeza você está me fazendo ver tudo isso com outros olhos.

  2. Adoro dicas de hospedagem e essa achei muito legal! Esse hotel parece ser muito bom e achei a decoração alegre e diferente. Obrigada pela dica! Bjs

  3. Adorei a quantidade de fotos que você colocou. Assim podemos ter uma ideia muito mais clara do lugar e escolher com mais precisão! Parabéns pelo post 🙂

  4. Que delícia um hostel assim! O café da manhã parece ser muito bom e completo. Além do local parecer muito confortável ainda tem o fato incrível de promover a integração entre os hóspedes. Adoro essa parte.
    Ótimas dicas! Parabéns.

Gostou? Tem dúvidas? Nos deixe uma mensagem: