11 dias em cidades do chamado “leste europeu”.

11 dias em Praga, Bratislava, Viena e Budapeste
Gostou? Compartilhe este texto:
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •  

Se você está organizando uma viagem para as famosas Praga, Viena e Budapeste, certamente foi atrás de informações sobre o Leste Europeu e não sobre a Europa Central!

Bom, eu também fui! Mas levei uma bronquinha! Rsrsrsrs

Eles não gostam de serem chamados de países do leste europeu e fiz um post falando sobre isso:

Porém, todo mundo usa esse termo e é bem difícil não usá-lo! rsrsrsrs

Conhecendo a Europa Central ou Leste Europeu

Mas vamos ao que interessa: o que visitamos na Europa Central dita Leste Europeu?

Eu e meu marido ficamos apenas 11 dias e pretendemos voltar, mas conhecemos Praga, Bratislava, Viena e Budapeste. Óbvio que, se inserimos a Alemanha na Europa Central, conhecemos também algumas cidades da Alemanha.

Nosso roteiro:

Depois de muitas pesquisas pelo Mochileiros e pelo Dubbi, escolhemos o seguinte roteiro saindo de Berlim:

  • 3 noites em Praga
  • 2 noites em Bratislava (porém foi 1 dia inteiro na cidade e o outro saímos cedo para curtir Viena)
  • 3 noites em Viena (Pegamos o último ônibus para Buda, curtindo assim boa parte do último dia)
  • 3 noites em Budapeste (pegamos o voo no período da tarde)


Transporte:

O primeiro trecho (Berlim-Praga) fomos de trem. Por causa do Léo, das mochilas e do carrinho, resolvemos reservar um lugar no trem (3€ por passageiro) e reservamos o espaço família.
Este espaço é um compartimento fechado com 4 ou 6 lugares (dependo do trem).  E o bom é que ficamos apenas nós 3 ali! Nem fechamos o carrinho (inclusive fizemos o Léo dormir um pouco ali).

Hostel Downtown Backpacker's em Bratislava Europa Central

O segundo trecho (Praga – Bratislava) fizemos de ônibus.
Havíamos visto uma companhia chamada Student Agency que faria o nosso 1° trecho por ¼ do valor m relação ao trem.
Como não achamos comentários na net, não arriscamos, porém, nos indicaram para esse 2° trecho e nos espantamos. O ônibus é ooooooteemo!
Moderno, confortável. Os bancos são de couro, com um bom espaço entre os bancos e cada um com um kit multimídia com músicas, séries e filmes, além, claro, de um simples serviço de bordo (café, cappuccino e chá gratuito e água e outras bebidas e comidinhas a pagamento).
A única queixa: a moça disse que deveríamos ter comprado uma capa para colocar o carrinho do Léo. Encheu o saco, mas colocou o carrinho ali. Disse que era o mesmo procedimento para bike. Quando compramos o outro trecho, fiz questão de salvar em pdf na pagina que falava sobre bike, mas não mencionava carrinhos de bebês. Então, não esquentem, mas imprima (ou salve em pdf) consigo o trecho que fala sobre isso.

Depois disso, fizemos tudo de Student Agency.
O trecho Bratislava-Vienna você precisa especificar que vai descer na estação Stadium e não no aeroporto. E o trecho Vienna-Budapeste tivemos que voltar até Bratislava e esperar um próximo para Budapeste (o mesmo que partia de Praga).

A vantagem do ônibus é o preço. Em alguns trechos, o trem seria mais rápido, mas muito mais caro.

O retorno de Budapeste para Berlim fizemos com a Easy Jet, curiosamente única empresa low-cost que viajei pela Europa e é uma ótima empresa, apesar de te cobrar tudo. O espaço entre as poltronas é melhor que a Gol! (rs)

Todas essas passagens compramos por internet e imprimimos os tickets em pdf. Meu conselho: salvem em mais de um aparelho para não perder a bateria. A DB (companhia de trem), além do código de barras, exige o cartão de crédito usado. A Student Agency apenas pega o código da reserva e as poltronas. A Easy Jet aconselha fazer check in pelo app. Como você também paga para reservas as poltronas, aconselho fazer o check in assim que abrir a disponibilidade (eles mandam um email avisando). E o ticket também é eletrônico. Como íamos despachar mala e o carrinho, chegamos mais cedo para o despache e nos emitiram o bilhete em papel.


Hospedagem no Leste Europeu:

Nos hospedamos apenas em hostel (reservamos diretamente com eles, para ver quem aceitava bebês. Há muitos party hostels e muitos não aceitam menores de 18 anos, mesmo acompanhado dos pais).

3 noites no Ahoy Hostel Prague no leste europeu
O AhoyHostelPrague

Em Praga nós nos hospedamos no hostel Ahoy! Prague, que fica no centro da cidade (em Praha 1) e que dispensa o uso de transporte público. E’ um hostel para mochileiros, mas não é festeiro. Ficamos em um quarto twin.

O local é pequeno simples, bem organizado e limpo. A portaria é 24hs, mas você recebe chave da porta de entrada e da porta da rua (o hostel fica no 2° andar).

Hostel Downtown Backpacker's em Bratislava no leste europeu
Hostel Downtown Backpacker’s em Bratislava

Em Bratislava ficamos em outro hostel central, o Downtown Backpacker, também em um quarto twin. O quarto era imenso e com uma decoração com moveis antigos. Havia também uma varandinha deliciosa, que no inverno, a utilizamos fechada. No térreo funciona um bar/restaurante bem bacana e agitado, com preço bom. O bom é que o som não interfere nos quartos (pelo menos não no 2° andar).
A portaria é 24hs e recebemos apenas a chave da porta do quarto.

Estes dois hostels tinham banheiros compartilhados e juntamos as camas para dormirmos nós 3 juntos.

O Hostel Wombats The Lounge em Viena no leste europeu
O Hostel Wombats The Lounge em Viena

Em Viena ficamos no Wombats The Lounge. Há vários outros hostels da rede e gostamos muito deste. Ficamos em um quarto de casal suíte muito bom. Também é um hostel para mochileiros, mas é bem maior que os outros dois. Se todos da rede forem no mesmo padrão, recomendo de olhos fechados. No subsolo funciona um bar bem bacana. Não servem comida (apenas nachos como petisco), mas é um local bacana para cerveja, música boa e bilhar e pebolim (para quem curte).
A portaria é 24hs, mas você recebe um cartão-chave que libera a porta de entrada na madrugada, as portas para as dependência do hostel (para que outros viajantes que não façam parte do hostel tenham acesso) e da porta do quarto.

Hostel Maverick City Lodge em Budapeste no leste europeu
Hostel Maverick City Lodge em Budapeste

E por fim, em Budapeste escolhemos o Maverick City Lodge. Este hostel parece mais um hostel boutique. O primeiro andar é reservado aos quartos coletivos e os 2° e 3° andares para os quartos privativos. Ficamos em um quarto de casal suíte e ao chegar, encontramos um bercinho para o Léo!!!!
🙂
Acho que a portaria é 24hs, mas você recebe um cartão-chave que libera a porta de entrada, as portas para as dependência do hostel (para que outros viajantes que não façam parte do hostel tenham acesso) e da porta do quarto.
Ao lado do hostel (mas com entrada pelo salão principal), há o bar/restaurante do hostel, o Fat Mamma.

 


Gostou? Compartilhe este texto:
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •  

Antes de viajar, não se esqueça de fazer o seu seguro viagem conosco. Use o cupom TURISTANDOIN5 e receba 5% de desconto. Aproveite e faça a reserva de hotel e do aluguel de carro conosco. Se quiser, entre em contato conosco. Fazemos todas as reservas de tua viagem gratuitamente.


About Juliana (www.turistando.in)

Sou a mãe do Léo quase full-time, professora de italiano (por algumas horinhas), esposa de um doutorando (que me deixa maluca) e, claro, a faz-tudo do Turistando.in!

Gostou? Tem dúvidas? Nos deixe uma mensagem: