Voando Iberia (e conhecendo o aeroporto de Madrid e de Lisboa)

Voando Iberia
Gostou? Compartilhe este texto:
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •  

Como disse no post inicial, viajamos de Iberia por seu “baixo preço”. E se você também resolveu pegar esse voo um pouco mais econômico, com certeza conhecerá o aeroporto de Barajas (Aeropuerto Adolfo Suárez Madrid-Barajas).

Aliás, vale a pena ler um pouco do post que a Karina fez sobre Madrid (Olé Madrid!).

Em nosso voo tinha pessoas que iam para diversos outros destinos e que fizeram a mesma coisa. O que me surpreende é que, para Lisboa, tínhamos apenas a TAP Iberiacomo opção de voo direto. Mas vimos pessoas com destinos a países que usufruíam de mais opções, também usando a Iberia.

O avião não é super moderno, nem maravilhoso. Tudo bem que não me lembro de como era a aeronave da Tam quando fomos para Paris, 6 anos atrás, mas não condeno a opção, exceto, claro, pela espera de mais de 2hs para a conexão à Lisboa.
O que achei muito ruim é que, apesar do voo ser SP – Mad, não há nenhuma explicação em português. Nem mesmo os tripulantes sabem direito a língua.
Em nossa frente havia um casal de jovens, que provavelmente viajava ao exterior pela primeira vez e não sabiam muito bem as regras de voo (e talvez nem mesmo os idiomas Inglês e Espanhol).
Além de não deixarem o assento reto para a decolagem, aterrissagem e na hora da refeição, continuaram a bater fotos com celular no período que eles pedem para deixar os aparelhos desligados (uma garota ao lado se irritou e pediu para eles pararem de fotografar – rs).

A comida no voo turístico também é razoável. Nos serviram almoço e café da manha. Tudo muito simples, mas normal.

Me irritou apenas o voo da volta. O cansaço da viagem estava forte no corpo e pegamos uma aeronave bem mais antiga, que por problemas técnicos, partiu em atraso.
Estávamos sentados na 1° fileira da classe turística, que é bem mais espaçosa na frente, mas com assentos com pouca reclinagem (o que me irritou horrores)! Sem contar que a primeira refeição demorou para chegar (horrível para quem acordou às 4h30 da manha em Lisboa, não conseguiu ter tempo de tomar café da manhã e que ficou mais de 2hs no aeroporto de Madrid aguardando o voo) e que não me atenderam de prontidão quando pedi agua para tomar remédio!

Mas, irritações a parte, falarei sobre o aeroporto de Barajas.

Ele é imenso e certamente vocês se sentirão um pouco confusos. Explico: O avião Gru-Mad chegará no imenso terminal T4.

Vocês verão que no cartão de embarque Mad – Lis aparecerá algumas letras, tipo JKL no local do portão. Antes de pensar: “como assim” e tentar entender, siga a galera!
Haverá diversas esteiras rolantes, algumas escadas ou elevadores com destino a um “trenzinho” que vos levará para o T4S  (o aeroporto “doméstico” e europeu que me parece ser apenas da Iberia).

 

Antes de entrar no T4S, terá a fila da imigração com os funcionários mais mau humorados da face da terra (percebi aqui que a fama dos franceses é injusta!) e após alguns bons minutos de encheção de saco (principalmente para quem carrega notebooks, tablets, celulares, frutas, cintos, botas com ferro e garrafinha de agua), vocês verão outro imenso terminal.
Dai, começa a nova confusão: “Para onde eu vou? Como assim portão JKL?”
Bom, na verdade eles ainda escolherão qual será o portão. As letras correspondem à trechos do imenso terminal e o portão aparecerá nas diversas telinhas espalhadas pelo terminal.
Nosso voo SP – Mad chegou cedíssimo e estávamos mortos de fome. Para comer neste aeroporto, leve dindim ou lanchinho de casa. Como todo aeroporto, ele é caríssimo.
Lanches básicos por volta dos 7 euros. O que “salva” é o McDonalds, com o Mccafé e hamburguês a partir de 1 euro.
Mas ele está somente neste terminal. No T4 tem Starbucks e Burger King, além de restaurantes.Assim que anunciaram na tela o portão de nosso voo, fomos até ele.
O voo saiu na hora, mas por ser uma aeronave pequena, tremeu demais!
Em Lisboa apenas pegamos nossas malas e saímos direto. Sem passagem por policias federais (esses voos são considerados “domésticos”).Assim que vimos o saguão principal, compramos no posto de atendimento ao turista o Lisboa Card e pegamos o metro (linha vermelha). Bem limpo, vazio e rápido.
Descemos na estação Alameda e fizemos troca para a linha verde, até Cais do Sodré!
Pronto, estávamos em Lisboa e nossa aventura de 13 dias começa aqui!
😀


Gostou? Compartilhe este texto:
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •  
  •   
  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Antes de viajar, não se esqueça de fazer o seu seguro viagem conosco. Use o cupom TURISTANDOIN5 e receba 5% de desconto. Aproveite e faça a reserva de hotel e do aluguel de carro conosco. Se quiser, entre em contato conosco. Fazemos todas as reservas de tua viagem gratuitamente.


About Juliana (www.turistando.in)

Sou a mãe do Léo quase full-time, professora de italiano (por algumas horinhas), esposa de um doutorando (que me deixa maluca) e, claro, a faz-tudo do Turistando.in!

Gostou? Tem dúvidas? Nos deixe uma mensagem: