Parque Nacional de Itatiaia (parte baixa) – RJ

Parque Nacional de Itatiaia
Gostou? Compartilhe este texto:
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •  

O Parque Nacional de Itatiaia

Turistandoin Rio de Janeiro Itatiaia (7)A viagem para o Parque Nacional de Itatiaia foi programada de última hora.
Procuramos alguns locais de praia para ir, mas a ideia de estarmos com amigos em um local de natureza também nos encantou.
Quem teve a ideia de passar a virada em Itatiaia foram nossas amigas Mayra Tatiana. Gostamos da proposta e das fotos que vimos e decidimos segui-las.
Encontramos uma área de camping dentro de uma pousada do parque a preços bem econômicos. Além de nós, a Viviane e a Renata também curtiram a ideia e fomos para lá em turma.
Como estávamos de folga, fomos para lá de ônibus. Nossas amigas chegaram depois de carro, o que facilitou a nossa circulação pelo parque (que tem uma péssima infra estrutura).
Texto escrito por Milena Machado com fotos e algum dedinho de Juliana Moreti.

Como chegar no Parque Nacional de Itatiaia (parte baixa): 

Turistandoin Rio de Janeiro Itatiaia (8)Diferente de outros parques nacionais, o de Itatiaia é acessível para mochileiros sem carro.

Para quem vai de ônibus, saindo do Tiete – SP, é só pegar o ônibus da viação Cometa.
Existem duas possibilidades: o que vai direto para Itatiaia (mas com poucos horários) ou o que segue com destino a Volta Redonda e que faz a sua primeira parada em Itatiaia.
O caminho dura de 2:30 a 3:00 mais ou menos.  Da rodoviária para o parque Nacional é uma distância que varia entre 6 e 7 quilômetros, segundo o taxista e o pessoal do Camping.

 

Nosso conselho

Turistandoin Rio de Janeiro Itatiaia (8)Se for possível, agende com o pessoal do hotel, pousada ou camping, um taxi que te encontre na rodoviária.
O motivo é que infelizmente a rodoviária é simples, deserta, com guichês vazios, sem caixas eletrônicos e apenas um cartaz com os poucos horários do ônibus que passa a cada 3 ou 4 horas.
Tivemos o azar de chegarmos às 13:40 e o próximo coletivo sair somente às 15:00. Cogitamos ir a pé, mas por conta das mochilas, barracas e alimentos desistimos.

Por sorte, conseguimos um número de taxi que foi nos pegar lá e nos levou até o camping.

Dentro do carro, percebemos que péssima escolha teria sido ir a pé. A estrada é ótima, asfaltada , bem sinalizada, mas com diversos morros, principalmente depois de entrar no Parque.
São mais ou menos 5 km da rodoviária até o Camping Pousada que ficamos e mais uns 600 metros da porta da Pousada até a recepção, esse último trecho de generosas decidas, diga-se passagem.
Em um site sobre o parque, há outras dicas de como chegar de carro e ônibus

Preço para a entrada do parque.

O ingresso ao parque não é gratuito. Brasileiros tem descontos de 50% na entrada e há descontos para os dias seguintes. O ideal é comprar na entrada o bilhete relativo a todos os dias. Esse valor é utilizado na preservação do parque.
Tabela retirada do site oficial do parque (em 2016)
  • Público em Geral = R$ 30,00
  • Ingresso para brasileiros   = R$ 15,00

DESCONTO DE INGRESSOS PARA DIAS CONSECUTIVOS

Caso o visitante pretenda visitar o Parque Nacional do Itatiaia por mais de um dia, terá direito a um desconto de 50% em dias de finais de semana ou feriados e de 90% em dias úteis, a partir do segundo dia, sobre o valor do ingresso público em geral e ingresso com Desconto Brasil.

.

Enfim chegamos ao destino. 

Gastamos R$ 30,00 com o taxi, um valor que, segundo o taxista, é  tabelado (fomos em 2013). Natureza, cachoeiras, tranquilidade, canto de passarinho tudo sem qualquer toque de celular ou internet.
Isso mesmo, o sinal é péssimo, praticamente nulo para TIM, OI, CLARO e VIVO.
Na estrada do Parque ainda é possível encontrar em alguns pontos algum sinal da Claro e da Vivo, mas não conte com isso.
O local que nos hospedamos tem telefone fixo, onde é possível fazer ligações, que são cobradas dentro da tabela deles, ou seja, é uma opção para casos extremos.
Turistandoin Rio de Janeiro Itatiaia (3)
Horário do ônibus que passa pelo parque

O camping

Ficamos no Aldeia dos Pássaros, uma pousada/camping dentro do parque. Fomos muito bem recepcionados pelo Didi, pela Cláudia e pelo Alexandre. O camping ainda é (jan de 2013) algo recente na pousada. A área destinada às barracas é imensa, com iluminação no local, mas com o interruptor longe do local. Aconselho o uso de lanternas.

Turistandoin Rio de Janeiro Itatiaia (5)Um pouco afastado deste local (mas não fora do caminho), está uma pequena cozinha com um fogareiro e gás; 3 banheiros e 3 duchas ainda em fase de melhorias (estava bem precária quando fomos).

Tivemos sorte de sermos os únicos a acampar na virada de 2012-2013, pois o espaço è bem pequeno.
Além da cozinha, há o restaurante da pousada. Decidimos almoçar por conta e jantar no restaurante.
Outra coisa importante: o local está no meio da mata. Há muuuuitos pernilongos. Repelente è obrigatório. Além do repelente na pele, levamos espiral.

Mas…… o que fazer no parque de Itatiaia?

Muitas coisas! Mas nós, que não somos atletas, decidimos apenas conhecer as cachoeiras.

Conhecendo o Parque Nacional de Itatiaia

É possível conhecer o Parque de ônibus, mas com muita disposição. Como já disse, os horários do  único ônibus que circula pelo parque são poucos. Então, o que pode-se  fazer é subir com o ônibus e descer a pé ou pedir carona (caso você não de a sorte de voltar no horário de descida dele).
  • O Museu do parque

Para quem fica na parte baixa do parque (RJ), vale a pena dar um pulinho no Centro de Visitantes e ver o que o parque pode nos oferecer; Além da divertida CALÇADA DA FAUNA, que reproduz as pegadas de diversos animais da Mata Atlântica, o centro abriga uma sala com uma imensa MAQUETE tridimensional de todo o Parque.
Há também uma SALA INTERATIVA destinado às atividades educativas infantis, uma sala de EXPOSIÇÕES ITINERANTES que acolhe trabalhos relacionados a arte, cultura e meio ambiente. Quando fomos vimos diversas fotos da fauna e flora da região, além  da exposição DESCOBRINDO O PARQUE, que apresenta um acervo botânico, zoológico e petrológico, exposto em dioramas representados o Vale do Paraíba, a Face Norte, a Face Sul e os Campos de Altitude.

  •  Lago Azul (piscina natural)

O Lago Azul é a atração natural mais próxima do Centro de Visitantes, ficando a mais ou menos 500 metros deste. A trilha é bem acessível com uma escadaria de certa forma tranquila.
O percurso leva à piscina natural do rio Campo Belo, local bem recomendado para o banho.

  • O mirante do Ultimo Adeus

No retorno ao camping, resolvemos dar uma passadinha para admirar o Mirante do Último Adeus. Local com uma vista panorâmica e privilegiada do parque, do Vale do rio Campo Belo e da Serra do Mar.

  •  As cachoeiras
O ponto final do ônibus fica relativamente próximo a umas 3 cachoeiras. Precisa de uma caminhadinha até chegar ao complexo das cachoeiras. De carro é muito mais prático, pois tem um estacionamento com banheiro.
O horário de visitação é somente até as 16:30, no entanto não há placas lembrando deste detalhe. Nós fomos para as cachoeiras e quando voltamos havia apenas o nosso carro e dois seguranças de cara fechada avisando sobre o horário e esperando nossa saída.
  • Complexo do Maromba

O Complexo Maromba fica a 4km de subida do Centro de Visitantes. Compreende a Piscina Natural do Maromba, a Cachoeira Itaporani e a Cachoeira Véu de Noiva. Estacionando após a ponte o visitante tem acesso a estas três atrações.

A cachoeira Maromba 

O acesso é realmente fácil. Após estacionar o carro próximo aos banheiros é só descer uma escada de pedras, uma trilha bem tranquila e pronto.
Na verdade a escada é um pouco íngreme e devido a proximidade com a água é um pouco escorregadia, mas perfeitamente acessível, bem sinalizada, com a manutenção em dia, aliás, essa última é uma característica de todas as trilhas.A cachoeira Maromba é muito boa para nadar, com algumas pedras na margem, logo forma uma piscina na qual os mais familiarizados com a água podem dar suas braçadas enquanto o menos preparados ficam ali brincando de mergulhar e se seguram nas pedras, a água é bem fria e o acesso a queda d´água um pouco perigoso, pelo menos no período de cheia como é janeiro. A correnteza estava muito forte e ninguém se aventurou.Voltando ao estacionamento, há uma escadinha que nos leva a outras duas cachoeiras: Itaporani Véu de Noiva. Assim como a Piscina do Maromba, o acesso é bem fácil e tranquilo.

Em um determinado momento a trilha se bifurca. Começamos pela Itaporani


Cachoeira Itaporani

A trilha que leva até a Cachoeira Itaporani, assim como a trilha da Maromba é bem sinalizada, no entanto é um caminho de mato, com percurso maior e com mais obstáculos. Tem vários sobe e desce, também é possível fazer o caminho de chinelão, mas ir de tênis ou com uma sandália mais apropriada, tipo papete, é muito mais seguro e agradável para andar. Na verdade, esse tipo de sandálias é bastante útil pois podem ser usadas para entrar na cachoeira.
A Itaporani é uma cachoeira menos movimentada, devido a longa trilha. Não é todo mundo que anima de ir. A cachoeira, assim como a Maromba, forma uma bela piscina propícia para algumas braçadas, tem várias pedras logo na entrada, mas em seguida já tem a piscina aparentemente funda. No dia que visitamos ninguém entrou na água e eu como péssima nadadora também não me arrisquei.
Assim como a Maromba a cascata é distante e arriscaria dizer que não é possível o acesso. Na Itaporani você corre o risco de ser agraciado com uma revoada de pássaros como aconteceu conosco, foi um espetáculo realmente lindo e durou vários minutos .

Cachoeira Véu de noiva

A famosa Véu de Noiva de Itatiaia tem a entrada junto com a Cachoeira Itaporani, se dividindo em determinado momento. Com uma trilha íngreme, mas também bem conservada e demarcada, eu diria que é de fácil acesso.

No caminho pode-se ficar em dúvida, pois em determinado ponto a  trilha se divide, uma parte segue em frente enquanto outra passa por baixo de uma pedra, para acessar a Véu de Noiva, deve seguir o caminho estreito de baixo da pedra, há sempre um fluxo de pessoas em direção, mas vai que no dia da sua visita tá vazio.

Esta cachoeira foi a minha preferida, linda de olhar e fácil para aproveitá-lá, para os que não sabem nadar ela é muito acessível, cuidando para não escorregar nas pedras é fácil chegar a cascata e sentir aquela água batendo nas costas é relaxante, não forma piscina, para os que gostam de dar um mergulho não é indicada, possui bastante pedras é boa mesmo para brincar nas cascatas e tomar sol nas pedras.

 


Gostou? Compartilhe este texto:
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •  
  •   
  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Antes de viajar, não se esqueça de fazer o seu seguro viagem conosco. Use o cupom TURISTANDOIN5 e receba 5% de desconto. Aproveite e faça a reserva de hotel e do aluguel de carro conosco. Se quiser, entre em contato conosco. Fazemos todas as reservas de tua viagem gratuitamente.


About Juliana (www.turistando.in)

Sou a mãe do Léo quase full-time, professora de italiano (por algumas horinhas), esposa de um doutorando (que me deixa maluca) e, claro, a faz-tudo do Turistando.in!

One thought on “Parque Nacional de Itatiaia (parte baixa) – RJ

Gostou? Tem dúvidas? Nos deixe uma mensagem: