Conhecendo o Museu Van Gogh em Amsterdam

O Museu Van Gogh em Amsterdam
Gostou? Compartilhe este texto:
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •  

O Museu Van Gogh

O Museu Van Gogh em Amsterdam
Self-Portrait with Pipe and Straw Hat” (1887) – Foto retirada do site do Museu

O Museu Van Gogh fica na Praça dos museus, a poucos metros do Rijksmuseum. Não é o caso de planejar uma visita a ambos em um só dia, pois eles exigem mais tempo. Entretanto, não se pode deixar de considerar que o passeio até o museu é agradável por causa da deliciosa praça e do prédio do Rijks, onipresente para quem passeia por ali.

O prédio do Museu Van Gogh foi projetado especialmente para ser um museu e tem o melhor da arquitetura moderna. Muito vidro, espaços amplos e pouco impacto visual na praça dos museus, ou seja, ele não compete com o protagonismo do Rijk.

No interior, o prédio é basicamente dividido em dois: um, menor, em que são organizadas exposições temporárias; outro, de 4 andares, onde está a exposição do acervo.
O museu é de tamanho médio e talvez seja possível ver todo o seu acervo exposto em uma longa tarde, embora duas seja mais recomendável.

O Museu Van Gogh e seu acervo

O tema do museu, evidentemente, é Van Gogh.
O acervo está dividido ao longo dos quatro andares do prédio principal. Logo no início, no subsolo, há uma sala dedicada a autorretratos, feitos ao longo da curta carreira de Van Gogh (Veja algumas das fotos no site do museu).

Na mesma sala, há uma espécie de cronologia do pintor.

O restante do acervo está organizado nos demais andares, separando a obra em dois períodos e, dentro de cada período, em temas.
A divisão é cronologicamente bem desigual – de 83 a 89 e de 89 a 90 – mas encontra sentido na intensidade da atividade do pintor no último ano de sua curta vida.

O Museu Van Gogh em Amsterdam
Agostina Segatori no café Le tambourin

Agostina Segatori no café Le tambourin

São vários os temas em que as obras estão divididas, como:

Modelos: “Agostina Segatori no café Le tambourin” (In het café: Agostina Segatori in Le Tambourin –
Vincent van Gogh, 1887);

Vida Rural:
“A colheita” (De oogst  – Vincent van Gogh, 1888);

Paris: 
“Gates at Paris Rampards” (não achei o nome em português – Poort in de verdedigingswerken van Parijs – Vincent van Gogh (1853 – 1890));

Sonhos Japoneses
 (para mim uma novidade): “Ponte sob a chuva” (Brug in de regen (naar Hiroshige)
Vincent van Gogh, 1887).
Entre outros…..

O Museu Van Gogh tem também alguns dos hits do artista, como “Amendoeira em flor” (Amandelbloesem – Vincent van Gogh, 1890), “Girassóis” (Zonnebloemen – Vincent van Gogh, 1889), “O quarto” (De slaapkamer – Vincent van Gogh, 1888), “Comedores de batata” (De aardappeleters – Vincent van Gogh, 1885) e “Campo de trigo com corvos“, possivelmente sua última obra (Korenveld met kraaien – Vincent van Gogh, 1890).

p.s.- Girassóis e O quarto estavam na exposição sobre o Munch, no térreo.

Do fato de o museu ser dedicado a Van Gogh não decorre que existam ali apenas obras feitas por Van Gogh. Até porque,  há  Van Gogh em outros museus espalhados pelo mundo (além de coleções privadas).

No acervo, há também obras de outros pintores, que influenciaram Van Gogh, foram por ele influenciados ou com ele travaram uma amizade.
A relação mais evidente está no retrato que Gauguin fez de Van Gogh pintando seus girassóis (Vincent van Gogh zonnebloemen schilderend – Paul Gauguin, 1888), que por sua vez retratou Gauguin e pintou sua cadeira (De stoel van Gauguin – Vincent van Gogh, 1888) e um seu retrato (Portret van Gauguin – Vincent van Gogh, 1888).

O museu também tem Monet (Campo de tulipas próximo a Haia – Tulpenvelden vlak bij Den Haag – Claude Monet, 1886), Pissaro (Caminho de Versailhes, Rocquencourt – Route de Versailles, Rocquencourt – Camille Pissarro, 1871), Toulouse-Lautrec pintando Van Gogh (Vincent van Gogh – Henri de Toulouse-Lautrec, 1887) e japoneses para mim inteiramente desconhecidos, como Utagawa Kunisada (À margem do rio – Aan de oever van de rivier, een blad van een triptiek – Utagawa Kunisada, 1820 – 1830), além de vários outros.

Há ainda o prédio menor, onde vimos uma exposição temporária sobre Van Gogh e Munch, em que os dois pintores foram colocados lado a lado, com o intuito de enriquecer o olhar seguindo o velho e eficaz hábito de olhar quadros em perspectiva.

Todas as imagens neste post retirei do site do próprio museu e, portanto, de total autoria deles. Infelizmente não é permitido fazer fotos neste museu, mesmo sem flash!

Informações básicas:

Endereço: Museumplein 6, Amsterdã 
Site:
http://www.vangoghmuseum.nl/pt/planeje-a-sua-visita
Preço em 2015: € 17 ou € 22 incluindo guia multimídia; Apenas o guia multimídia: € 5. Crianças 0-17 anos: grátis (segundo o site)
Compre online pelo site. Descontos de 100% com o cartão IAmsterdam Card.
Horário de abertura: Há vários horários; Vejam no site: http://www.vangoghmuseum.nl/en/plan-your-visit/opening-hours.

 

Quer outra opinião do Museu Van Gogh? Leia o que a Lu do Let’s Fly Away escreveu!!!!

Ir ou não ao Museu de Van Gogh?


Gostou? Compartilhe este texto:
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •  
  •   
  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Antes de viajar, não se esqueça de fazer o seu seguro viagem conosco. Use o cupom TURISTANDOIN5 e receba 5% de desconto. Aproveite e faça a reserva de hotel e do aluguel de carro conosco. Se quiser, entre em contato conosco. Fazemos todas as reservas de tua viagem gratuitamente.


About Juliana (www.turistando.in)

Sou a mãe do Léo quase full-time, professora de italiano (por algumas horinhas), esposa de um doutorando (que me deixa maluca) e, claro, a faz-tudo do Turistando.in!

20 thoughts on “Conhecendo o Museu Van Gogh em Amsterdam

  1. oi Ju… sabe que só passei a gostar de Van Gogh de verdade quando visitei seu museu em AMS?! Vi outras obras, li sobre sua história e então, ele me cativou. 🙂

    Texto lindo e precioso! 🙂 Dica importante você deu: não visitar ele e o Rijks no mesmo dia. bjus

  2. Juliana, que post bacana, parabéns! Este foi o único museu que visitei em Amsterdam e adorei! Achei bastante didático e adorei a lojinha, também, coisas lindas! Ver obras que só conhecia em reproduções é um privilégio que agradeço até hoje.

  3. Ju, não consegui resistir a passear nesse museu com você. Já deu pra perceber que sou fã de arte, fã de Van Gogh com certeza, e esse museu é um dos meus sonhos de consumo de viagem. Me encantei com sua descrição, me empolgando de cara com o fato de que parece ser um museu super bem cuidado e sinalizado. Me encantei também com as obras de pintores associados a Van Gogh. Não sabia que elas estavam por lá, e fiquei feliz de cara em saber que verei Monet lado a lado com VG. Maravilhoso <3.

  4. Uau, esse sim é daqueles museus que não posso deixar de conhecer quando visitar Amsterdã. Não entendo muito sobre arte, mas tenho uma grande admiração por esse artista tao talentoso que foi Amsterdã. Vou deixar anotadinha essa dica, pois estou cogitando de fazer um intercâmbio ano que vem na Holanda 🙂

    Abraços

  5. Nossa! Fiquei aqui babando com seu post! Queremos muito conhecer Amsterdã e esse Museu Van Gogh deve ser incrível! Fazer dois museus no mesmo dia fica corrido e acaba não aproveitando tanto mesmo! Bjs Angelica @descansanavolta

  6. Adoro Amesterdão e esse museu é fora de série! Não o visitei por dentro porque já tinha visto toda a obra de Van Gogh noutros museus (Londres e Nova Iorque e até em Arles, cidade francesa onde ele viveu) mas a sua arquitetura é genial. Boas viagens!

  7. Ando devorando tudo o que encontro sobre Amsterdam.
    Adorei o post e a dica de passeio.
    Mais um lugar para conhecer durante nossa visita à cidade.
    Beijos

Gostou? Tem dúvidas? Nos deixe uma mensagem: