A cidade universitária de Coimbra

Universidade de Coimbra
Gostou? Compartilhe este texto:
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •  

Fomos para o norte em nosso 5° dia de viagem e Coimbra foi a 1° cidade que visitamos.

Acordamos cedo para pegar um trem (comboio) para Coimbra.
Os horários são sempre bons logo cedo e vai rareando após às 10h. Existem vários tipos de trem em Portugal e você pode conhecê-los através do site http://www.cp.pt.
Um é o Alfa-pendular, que acabamos não pegando. O Intercidades, que é mais econômico que o primeiro tipo e o Regional, que faz curtas distancias. E é bem mais simples, mas mais espaçoso!
Para irmos até Coimbra, fomos até a estação de Santa Apolônia (metro com ligação à estação de trem). Como chegamos em cima da hora (em cima, mesmo! rs), pegamos assentos de costas 🙁

A viagem foi rápida, algumas paradas e descemos na estação Coimbra B.
Atentos, pois nem todos os trens vão até Coimbra A. Esta última estação é bem no centro, mas é estação final. Se teu trem tem destino Porto, por exemplo, ele não irá parar ali!
Para chegar até o hostel, pegamos um taxi (7 euros tudo).
Outra atenção: existe uma tarifa extra para o uso do porta mala! Acho que de € 1,20.
Caso vocês fiquem no centro baixo e não queiram gastar com taxi, desçam em Coimbra B e aguardem o próximo trem para Coimbra A.
Aqui, ficamos no eco hostel Dream On Coimbra (http://dreamoncoimbrahostel.com). Escrevi aqui um post sobre o local (eu e meu marido gostamos bastante e aprovamos!)
Algumas fotos do hostel
Bom, chegamos por volta das 10h30, deixamos nossas coisas no hostel (o quarto já estava liberado) e fomos conhecer o centrinho da cidade.
O caminho a pé não é distante, mas peça informação na recepção pois nos perdemos um pouco.
rs
Antes de chegar até a Universidade, passamos pelo Aqueduto de São Sebastião e cortamos pela rua (para evitar a imensa escadaria chamada Escadas Monumentais).
A primeira parte da universidade que avistamos é aquela da Faculdade de Medicina e a Biblioteca Geral. E’ aqui que se compra o ingresso para visitação (custa 7€).
Chegamos no horário de saída dos alunos e vimos que eles usam um “uniforme preto”, chamado de “Traje acadêmico”, no qual eles costuram símbolos (provavelmente para mostrar graus ou algo do tipo). Por ser diferente, eles se tornam alvo de turistas (alguns até parecem circular por ali propositalmente . rs)
Fotos do Aqueduto, da escada monumental, da entrada da faculdade e dos estudantes
A ala antiga da Universidade se encontra mais a frente, seguindo reto, sentido de quem veio da “super” escadaria.
Porta de entrada à Universidade Velha de Coimbra (Porta Férrea)
E’ fácil perceber que se aproxima da parte antiga, graças a essa maravilhosa “porta”, chamada Porta Férrea. E’ ela que te ingressa ao belíssimo prédio da universidade de Direito, com a torre do sino (funcional) e no centro, um imenso pátio com a estátua de Don João 3 (chamado de Paço das Escolas).
A visitação do lado externo da Faculdade é de graça, inclusive o interno da faculdade (bastante descuidado), mas o que faz valer realmente a visita ao local é a fantástica Biblioteca Joanina, a Capela de São Miguel e a Via Latina.
 
Restos de azulejos internos da faculdade
Compramos o nosso ingresso na Biblioteca Geral (como escrevi acima, custa 7€) e aguardamos o horário de abertura da Biblioteca Joanina. Infelizmente não é permitido fotografar seu interno, mas pro esse link do Google (http://goo.gl/UsdkHN) é possível ver como ela é magnifica!
Bom, a Biblioteca Joanina é do século XVIII, com estilo barroco rococó e foi construída sobre o antigo cárcere do Paço Real. Em seu interno, podemos ver frescos no teto e diversas molduras e detalhes pintados de dourado. O mobiliário é de madeira brasileira.
Ela é dividida em três salas, todas revestidas de estantes e reúne cerca de 70 mil volumes, muitos deles primeiras edições!
Veja mais e faça um tour virtual: http://bibliotecajoanina.uc.pt/
Na parte inferior à biblioteca, encontra-se a Prisão Acadêmica. Restos arruinados do que fora o antigo cárcere do Paço Real, documentando o único trecho de cadeia medieval subsistente em Portugal.
Após sair da Biblioteca e subir as escadarias que dão para o Paço das Escolas e antes de entrar na universidade para seguir o restante do passeio, de uma olhada na paisagem que este local oferece (se não o fez antes de entrar).
Visao da cidade e, por ultimo, a Biblioteca Joanina
Na sequência, fomos visitar a Capela de São Miguel . Ela foi construída no início do século XVI, substituindo uma anterior, provavelmente do século XII. A sua estrutura arquitetônica é manuelina, estilo decorativo visível sobretudo nos janelões da nave central e no arco cruzeiro. Há celebrações de casamentos, batismos, crismas e missas, que ocorrem aos domingos, ao meio dia.
Saindo desta ala e retornando ao Paço, pegamos a escadinha ao lado da torre do sino e nos deparamos a um corredor, que eu acho que se chama Via Latina. 
Entramos no complexo, subimos algumas escadas e fomos conhecer a Sala dos Capelos (e Salas do Exame Privado e das Armas).
Outro local proibido de fotografar!
Bom, a Sala Grande dos Actos é a principal sala da Universidade de Coimbra, também conhecida por Sala dos Capelos uma vez que, ainda hoje, é utilizada nas cerimônias acadêmicas. Seguindo o corredor, visitamos a Sala do Exame Privado e a Sala das Armas.
A Sala do Exame Privado fazia parte integrante da ala real do palácio. Foi câmara real (local onde o monarca pernoitava).
A Sala das Armas fazia parte da ala real do antigo paço. Alberga a panóplia das armas (alabardas) da Guarda Real Acadêmica, que ainda hoje são utilizadas pelos Archeiros (guardas) nas cerimônias acadêmicas solenes (Doutoramentos solenes, “honoris causa”, Investidura do Reitor, Abertura Solene das Aulas).
Aqui, te aconselho a ser xereta.
Sim! rs
Antes de ir embora, você verá uma escadinha e uma porta. Ela não está trancada, apesar de não ser convidativa. Ao abri-la, você verá um terracinho maravilhoso que te dará uma ótima visão da cidade e do Rio Mondego. E aqui, tua câmera não será proibida!
A visitação à UC dura, caso você entre nas salas que entrei e leia os panfletos explicativos do local, aproximadamente 2 horas.
Mais detalhes sobre a UC: http://www.uc.pt/informacaopara/visit/paco
Saímos de lá direto para o almoço. Havíamos reservado uma mesa no Fangas Mercearia Bar, também no centro. Para achar, não foi difícil, mas tivemos que perguntar para uma aluna que circulava pelo local e caminhar por suas ruas labirínticas.
Aliás, se você gosta de ruazinhas assim, perca um pouco de tempo (e joelhos) nelas!
Depois de descer as ruazinhas estreitas de Coimbra, chegamos no Fangas, na Rua Fernandes Tomas, 45.
Um local pequeno, gostosinho, econômico e com um clima super romântico.
Abaixo uma foto dos petiquinhos que provamos e da sobremesa deles (Destaque para as 2 porçoes e 2 petiscos: batata recheada de queijo fresco e pimentão com toucinho fumado)!

 

Saímos do restaurante e fomos conhecer o centro, caminhamos em sentido ao Arco de Almedina, ali, meu marido parou para tomar outra “Ginjinha”, desta vez no copinho de chocolate! rs
A Ginja é um licor da fruta de mesmo nome, que parece uma cereja. E’ docinho e gostoso, mas bastante alcoólico! Infelizmente não achamos no nosso último mercado antes de irmos embora. Eu iria adorar bebe-lo após a gravidez!
Ultrapassando o Arco, chegamos à principal rua comercial do centro: a Ferreira Borges. Este pedacinho é para andar e se perder. Além de docerias, há bastante igrejas e casas antigas. Alguns destaques: o gigantesco suspiro! Não sei qual é o nome que eles dão e nem se há algo de diferente nele. Meu marido não é tao fã, então para matar a vontade comprei um pequenininho, mas se estivesse em turma, teria comprado o grandão!
😉
Há uma casa medieval ainda em pé neste centrinho. Se mal me engano está na rua Sargento Mor (está na foto abaixo) e hoje é sede da Go Tour, que faz passeios turísticos pela cidade.
Ainda caminhando pelo centro, entramos em uma igrejinha de 1131, com decorações internas de azulejos (Mosteiro de Santa Cruz). Mais a frente tinha um mais antiga ainda, a Igreja de Santiago, iniciada em 957 (mas estava fechada)!

 

O sol começou a se por e o frio e a preguiça bateram forte. Resolvemos voltar a pé, para passar pela Sé antiga e nova. Subimos uma ruazinha e ali apreciamos um magnìfico por de sol, de cor alaranjado! Amo por do sol!


Gostou? Compartilhe este texto:
  •  
  •  
  •   
  •   
  •   
  •  
  •   
  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Antes de viajar, não se esqueça de fazer o seu seguro viagem conosco. Use o cupom TURISTANDOIN5 e receba 5% de desconto. Aproveite e faça a reserva de hotel e do aluguel de carro conosco. Se quiser, entre em contato conosco. Fazemos todas as reservas de tua viagem gratuitamente.


About Juliana (www.turistando.in)

Sou a mãe do Léo quase full-time, professora de italiano (por algumas horinhas), esposa de um doutorando (que me deixa maluca) e, claro, a faz-tudo do Turistando.in!

Gostou? Tem dúvidas? Nos deixe uma mensagem: